Menu
in

Depilador Elétrico: Compensa ou Não?

Depilação é, quase sempre, um tema polêmico, porque envolve o chamado “limite de dor”, que é diferente para cada pessoa. Há quem seja mais sensível e há quem seja bem resistente.

Para quem não tem problema com dor, para quem “aguenta o tranco”, os métodos que arrancam o pelo pela raiz são as melhores opções, já que eles demoram mais para crescer novamente.

Mas, para quem não tem tolerância a dor, as opções são limitantes, já que os pelos nascem em dois ou três dias. É, tudo tem seu preço!

A antiga lâmina, bem como o creme depilatório, saem  na frente pela praticidade e comodidade. E, falando em praticidade, vale lembrar dos depiladores elétricos, que garante uma pele lisinha em pouquíssimo tempo e, de quebra, arrancam o pelo pela raiz, o que garante  a durabilidade da depilação, que é de, em média, três semanas.

Para as mulheres que viajam muito e para as que não têm tempo, o depilador elétrico já se transformou em xodó, pois cabem em pequenos espaços, não pesam e resolvem o problema em qualquer lugar, a qualquer momento.

Há, contudo, quem não se acostume e acredite que o aparelho é, na verdade, propaganda enganosa.

Claro que tudo depende do aparelho escolhido (já falaremos disso), mas, de modo geral, o segredo está no modo de utilizar o “bendito”, pois tanto a forma de segurar, como a sua utilização são fatores que podem interferir nos resultados.

O depilador elétrico, para proporcionar um resultado satisfatório, deve ser utilizado inclinado na direção oposta ao crescimento dos fios. É isso que faz com que os fios sejam retirados “da raiz”. Quem não segue essa regra acaba “quebrando” o pelo ou invés de arrancá-lo.

É preciso lembrar que não se pode passar esse tipo de aparelho na pele rapidamente, mas também não deve passá-lo lentamente. A aplicação deve ser feita de maneira firme, mas sem “forçar” o aparelho contra a pele. Passa-se o aparelho no mesmo local de duas a três vezes para que nenhum pelo fique na pele.

Não precisa passar com força, é só encostar o aparelho na pele e incliná-lo na direção oposta ao crescimento dos fios. Você vai precisar passar no mesmo lugar umas duas ou três vezes, como já dito. Na primeira, a maioria dos pelos já vai embora. As repassadas servem para fazer retoques.

Em áreas onde existem dobrinhas, como axilas e virilha, o ideal é utilizar adaptadores ou depiladores próprios para essas regiões, que vêm com uma tecnologia que se adapta melhor e não “belisca” a pele.

As meninas que têm pele sensível, que tendem a ficar irritadas,  devem usar no pós-depilatório, algum creme, loção ou gel com ativos calmantes, hidratantes e cicatrizantes, como o azuleno, o aloe vera, a lavanda , a camomila e a ureia.

Para quem sente muita dor, a dica é, pouco antes da depilação, utilizar compressas de gelo na pele, que anestesiam o local, ou então, fazer uso de anestésicos tópicos, que não evitam, mas minimizam a dor.

Alguém aqui usa? Tem alguma dica para compartilhar?

Beijos

Ju Lopes

4.2
11

Escrito por Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza.

Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá?
Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

Comente