Amar demais

Meninas,

Já escrevi aqui no blog sobre dependência amorosa e relacionamentos complicados, assim como a Ju, mas com o relato da Ana, vim falar um pouquinho mais sobre esse amar demais que tanto mal faz às pessoas.

 

Foto: Reprodução

Primeiro, quero fazer uma pergunta:

O QUE É O AMOR?

Sabemos que esse é um sentimento subjetivo e que, por isso, tem significados diferentes para cada um. Mas podemos encontrar definições em comum, como por exemplo, que o amor é compreensivo, não maltrata, não humilha, não traz sofrimento. O amor constrói, conforta, apoia, faz sorrir e brotar o melhor de nós.

Então, como existem tantas pessoas que estão em relações destrutivas acreditando que estão amando?! Não dá para questionarmos se o sentimento é verdadeiro, justamente pelo fato dele ser subjetivo, mas podemos tentar entender o que está por trás dessas relações, o que motiva ambas as partes a investir em algo que não está sendo benéfico.

Hoje, as pessoas não se importam muito com o ‘si mesmo’, com o ‘ser’, e preferem viver em uma eterna busca pelo ‘ter’, tentando preencher seus vazios, sentindo profundo medo pelo ‘estar consigo mesmo’, fugindo da solidão e aceitando qualquer migalha que alguém oferecer. Assim, as ilusões e as expectativas que criamos a respeito daquilo que queremos influenciam na forma como percebemos as coisas, os sentimentos e as situações.

Então, crescemos com a ilusão de que existe príncipe encantado, que devemos encontrar a pessoa perfeita para vivermos o resto de nossas vidas, que quando amamos devemos suportar tudo, ou seja, vivemos a ilusão de encontrar um amor perfeito, quando na verdade sequer encontramos o amor-próprio. Como poderemos saber o que é amor, se não houver amor por si mesma?

Foto: Reprodução

As pessoas que amam demais não possuem amor-próprio e estão com a autoestima baixa, por conta de um histórico emocional conturbado, são carentes e estão constantemente precisando se sentir úteis. O pensamento delas é mais focado no outro do que em si mesma, assim, a pessoa ama outra que não a trata nada bem, mas, por acreditar que esta precisa da sua ajuda, acaba cedendo às chantagens emocionais e aceitando situações que a colocam ainda mais para baixo.

Quem ama demais acha que não haverá nunca outra pessoa, então o medo da solidão bate e a carência grita mais alto que a razão. É muito difícil uma pessoa dependente emocionalmente conseguir sair desses relacionamentos ruins, mas não é impossível, na verdade, é a melhor coisa que ela estará fazendo por si mesma.

O ponto chave para que haja um desligamento emocional da pessoa tóxica é a tomada de consciência. Compreender, aceitar, reconhecer e querer mudar são atitudes essenciais rumo a uma vida com relacionamentos saudáveis e construtivos.

A terapia psicológica serve, nesse caso, como ponto de apoio, de suporte, para que seja resgatada a autoestima, o amor próprio e que a pessoa consiga compreender seus próprios traumas, elaborar tudo que tem acontecido e tomar o rumo da própria vida. E para que dê resultados, é preciso que a pessoa se engaje de verdade, que ela tenha coragem para mexer nas feridas e compreenda que, por mais que seja doloroso, o resultado final é uma vida de qualidade, cheia de felicidade e com muito amor saudável para dar.

Foto: reprodução

É importante dizer, também, que amar demais é considerado doença, por envolver tantos aspectos, é algo tão complexo que deve ser investigado a fundo e cada caso é único. E é, na verdade, um tipo de vício, tanto quanto o vício em álcool, drogas, comida, sexo, etc, e deve ser tratado com seriedade, pois afeta toda a vida da pessoa e pode ter sérias conseqüências.

Se você acredita amar demais e deseja superar isso, busque ajuda de um profissional! Ninguém vale seu amor desperdiçado, sua vida desfeita nem seus sentimentos desprezados. Se valorize, acredite em você e na sua capacidade de ser feliz sozinha ou com outra pessoa.  A vida está ai para que você seja feliz!!

PARA LER MAIS:

Mulheres que amam demais

Relacionamentos complicados

Características de uma mulher que ama demais

Quer ser amada? Então ame a si mesma!

Co-dependência

Dependência Afetiva (ou amorosa) parte I

LIVRO: Mulheres que amam demais

Beijão,

Amanda Carvalho (amandacarvalho@patricinhaesperta.com.br)

Amar demais
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Sobre Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. 👯 Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza.

Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá?
Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas 😘

Minha Página
Saiba Mais

Kalina Amaro: kalina@patricinhaesperta.com.br

contato@patricinhaesperta.com.br / redacao@patricinhaesperta.com.br

* Saiba como escrever para o site PatricinhaEsperta CLIQUE AQUI.

Relacionamento Aberto
Relacionamento X Projeção - Parte 2
Tags: , , ,

Faça seu comentário aqui

RSS 2.0

Deixe um comentário

4 respostas para “Amar demais”

  1. Ju Lopes disse:

    Amandinha, amei o texto!

  2. Brunah disse:

    Pensei que esse blog fosse só sobre dicas de cabelos kkkkkkk

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.