Enquanto o amor não vem…

Oi meninas,

Quando não estamos nos relacionando com alguém, a solidão e a carência podem bater à porta e acabar nos levando a aceitar a companhia de qualquer pessoa que nos ofereça algumas migalhas de amor, carinho e atenção. Mas escolher uma pessoa para se relacionar com base na carência pode trazer sérias complicações para a sua vida, em vez de uma linda história de amor.

Algumas mulheres, quando estão solteiras, se sentem ansiosas, com medo de que nunca mais apareça alguém ou acham que nunca mais irão se apaixonar e encontrar o amor. Esses pensamentos fazem surgir a necessidade de tentar entender por que estes sentimentos aparecem, pois suas motivações, seu desejo de estar em uma relação, pode não ter nada a ver com compartilhar a vida com outra pessoa.

Foto: Reprodução

Muitas vezes, a carência, o desejo de ter alguém para cuidar de você, dar atenção, a preocupação em mostrar ao mundo que você é capaz de manter alguém ao seu lado, a necessidade de provar para si mesma que consegue manter uma relação e a vontade de ter alguém para controlar sua vida podem se confundir com a busca por um parceiro amoroso.

É claro que términos são dolorosos e a solidão também é, mas hoje as pessoas estão impacientes, intolerantes e incapazes de olhar para dentro de si mesmas. Pessoas que engatam relações atrás de relações acabam se tornando frustradas, pois estão constantemente em busca de um amor que sequer pararam para pensar sobre ele. Ou seja, quando uma relação acaba, é preciso que você tenha um tempo para si, para avaliar o que aconteceu, onde estão as falhas e o que você realmente deseja em um relacionamento.

A ânsia de ter alguém pode fazer com que você deixe de lado o seu amor-próprio e não pense no que quer que o outro lhe ofereça. Algumas pessoas acham que estar com alguém que trai, que bate, que está na rua todo final de semana, que não tem interesse em construir uma vida a dois é muito melhor do que estar sozinha. Mas a verdade é que quando estamos em uma relação que não nos acrescenta em nada, o vazio, a solidão, o medo e as inseguranças só aumentam.

Foto: Reprodução

Por isso, é preciso, antes de tudo (e enquanto o amor não vem), aprender a conviver com você mesma, pois estar sozinha é um ótimo momento para você se conhecer, se compreender, avaliar suas relações anteriores, suas atitudes, comportamentos, sonhos, se redescobrir e repensar a própria vida. Assim, quando você cuida de si, quando aprende a se amar, a entender seus próprios desejos e revisa o que não deu certo, você se torna alguém mais preparada para uma vida a dois.

Enquanto o amor não vem, o autoconhecimento é fundamental para o amadurecimento emocional, que pode contribuir e muito para que uma relação dê certo. Além disso, desenvolva sua autoestima, cuide da sua autoimagem, aproveite a solidão e o tempo sozinha para crescer como pessoa. Quando cultivamos nosso bem-estar, nosso desejo de evoluir, estamos nos preparando para amar e ser amada de verdade.

Para ter um relacionamento amoroso bem sucedido, é importante compreender que só você pode fazer por si mesma o que você deseja, ou seja, a responsabilidade por sua felicidade é sua, por isso, não espere que o outro preencha seu vazio. Aprenda a se ouvir, dê um tempo para você mesma e o amor vai aparecer quando você menos esperar!

Beijos!!

Amanda Carvalho (amandacarvalho@patricinhaesperta.com.br)

Deixe seu comentário