Sogra x Nora: Por que esse relacionamento é tão complicado?

Oi meninas!

Todo mundo já leu alguma piada sobre sogras né? No imaginário popular, as sogras são verdadeiras cobras jararacas, bruxas e eternos pesadelos de noras e genros. Mas deixando as brincadeiras de lado, por que alguns relacionamentos entre sogras e noras ( e genros também) são tão difíceis e conturbados?

Namorar, casar e constituir família fazem parte do desenvolvimento do ser humano. Assim, o casal é formado por pessoas diferentes, com histórias de vida únicas, costumes, valores, crenças, gostos, pensamentos e que demandam tolerância, compreensão e aceitação. E adivinhem qual a principal causa das desavenças entre os casais e  familiares? Exatamente, as diferenças e as intromissões dos familiares nos problemas do casal.

Dizem que, quando casamos, casamos também com toda a família, incluindo pai/mãe, irmãos/ãs, cunhados/as, tios/as, avós, sobrinhos/as e por ai vai. Porém, eu discordo dessa idéia, pois o casamento é feito de duas pessoas que querem construir seu próprio espaço, sua própria família e que estabelecem suas próprias regras, costumes e valores.

As famílias de origem podem estar por perto, mas devem oferecer um espaço de companheirismo, amor e apoio, sem intrusões e críticas,  onde o novo casal possa construir sua nova vida de forma saudável, baseada na aceitação e no respeito às diferenças. Ou seja, as famílias não precisam se casar entre si, o que se faz necessário é manter o respeito mútuo, de modo que a harmonia prevaleça.

E de onde vem tantas discordâncias entre a sogra e a nora? Bom, da parte das sogras, vem do relacionamento entre mãe e filho. Quando a mãe é dominadora, manipuladora, possessiva, ciumenta ou que tem medo de ficar sozinha, então ela se sente no dever de proteger o filho e no direito de tê-lo com ela para sempre. Quando o filho casa, o sentimento dessa mãe é de abandono e traição, passando a considerar a nora como uma bandida que levou seu filho.

Na verdade, todas as mães (e pais) tem que ter a humildade para compreender que os filhos um dia crescerão, sairão de casa e terão sua própria família. É o curso natural da vida e é algo que as sogras complicadas não conseguiram interiorizar. Da parte das noras, se elas também forem dominadoras e possessivas, então realmente esse relacionamento vai ser muito complicado, pois elas estarão sempre disputando a atenção e o amor exclusivo do homem. As noras também podem ser inseguras e excessivamente ciumentas, fazendo de tudo para tornar a convivência insuportável a ponto da sogra se retirar de cena. Nem sempre a “megera” é a sogra!

Além disso, as noras devem ter empatia e se colocar no lugar da sogra, compreendendo que ela sempre será a mãe do marido, sempre terá o amor do filho e sempre estará lá. Ela também precisa se sentir amada, ser respeitada e valorizada, afinal, foi ela quem pôs no mundo o homem que você ama, né? E ela tem que entender que você faz o filho dela feliz. Demonstrando isso, ela com certeza vai acabar percebendo que lutar contra a pessoa que o filho ama e que o faz feliz é uma causa muito egoísta.

Na verdade, família é a coisa mais complexa do mundo e dificuldades de relacionamento podem vir de qualquer parte, seja sogra/nora, sogro/nora, sogro/sogro, cunhada/nora, e inúmeras outras possibilidades.  Cada qual deve saber o seu próprio papel e seus limites, aprendendo a tolerar e a valorizar a felicidade de cada membro da família. Assim, mãe é mãe, esposa é esposa, são amores e relações completamente diferentes, tornando totalmente desnecessárias qualquer tipo de disputa.

Mesmo que os pais sejam daqueles que querem manter o filho debaixo das asas e que se intrometem em tudo, é preciso que ele mesmo assuma sua liberdade de escolha, sua independência e passe a viver conforme seus próprios desejos, limitando a interferência familiar, não tomando partidos e deixando bem claro para cada uma o papel delas. Sem falar que o homem não deve dar motivos para aumentar ou deflagrar conflitos e discussões.

Se a convivência for conturbada, seja entre sogra e nora ou entre quaisquer outros membros da família, vale experimentar a terapia familiar, tentando encontrar soluções e respostas para tanta inimizade, podendo até mesmo chegar a acordos que tornam tudo mais harmônico ou pelo menos tolerável. Às vezes, a única solução é se afastar e evitar a convivência, fazendo apenas algumas visitas curtas que dêem para agüentar, mas que esse afastamento seja a última opção, viu!

Beijos

Amanda (amandacarvalho@patricinhaesperta.com.br)

Sogra x Nora: Por que esse relacionamento é tão complicado?
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

11 Comments
  1. Crislaine Job disse:

    Graças a Deus não tenho problemas com minha sogra.
    Pelo contrário, amo de paixão” Sinto como se ela tivesse me adotado como uma filha! Eu realmente sinto isso, pois tudo que ela faz pra mim é com carinho!
    “Maria Heliana! Você é especial pra mim”
    Beijoss

    1. Oi Cris!!! Algumas sogras são maravilhosas e outras são extremamente complicadas, sorte das mulheres que tem a sogra como uma segunda mãe, né! Bjos

  2. Tenho vivido muitos problemas por causa da minha sogra, infelizmente, sinceramente da minha parte gostaria que fossemos amigas faço tudo por isso, moramos no mesmo quintal, acho que está aí o problema, tento agradá-la, levo comidinha no prato pra ela, cuido dela, mas ela tá sempre colocando o meu marido contra mim, inventando calúnias de mim para ele e para os outros, feito fofocas, me persegue muito, aliás não é só comigo, ela faz isso com os outros dois filhos que moram longe, ela conseguiu colocar um filho contra o outro e por isso hoje não se falam, quando a minha cunhada vem aqui ela ás vezes sai chorando por causa dela, ás vezes acho que não vou suportar, se eu vou lá ela me humilha, se não vou ela diz pro meu marido que eu abandono ela que é uma velha sozinha e se ela morrer vai ficar podre e eu nem vou ver, meu marido trabalha embarcado e fica 15 dias em plataformas da petrobrás, aí que ela pega no meu pé mesmo,ela é sempre a boa, a que sabe tudo, eu nunca presto, tenho 18 anos de casada e vivendo esta situação que ás vezes parece que não vou suportar, já pensei até em acabar com o meu casamento, pois já tive vários problemas de saúde e depressão por causa disso, ela tem 82 anos e uma saúde de ferro, mas vai sempre levar vantagem por causa da idade, meu marido por ser o caçula e foi muito mimado por ela não tem forças pra reagir, meu sonho é ter minha casa, mas ele diz que não pode sair daqui agora que pelo mesmos não pagamos aluguel, não sei mais o que fazer, esta semana foi aniversário dele, preparei uma surpresa pra ele, ela veio aqui e estragou tudo, ontem mesmo fui pro pronto socorro, pois desde este dia que estou passando mal, é isso e muito mais minhas amigas, me ajudem por favor, parece que vou morrer, amo meu marido, temos um filho de 16 anos, que inclusive eu soube que ela disse que não é do filho dela, conheci meu marido com 15 anos e eu era virgem e ele foi o único homem da minha vida, apesar de que ela diz que a outra neta dela também não é filha do outro filho dela, são essas coisas e muito mais que tenho vivido, me ajudem e obrigada !Bjs .

  3. Leticia Domanski disse:

    Minha sogra é um amor, moramos juntas sim no mesmo teto e para falar a verdade a escolha é nossa minha e dela nada por obrigação, por enquanto acho que é bom ter os cuidados e orientações dela, não temos problemas e foi assim desdo principio eu adoro ela!

  4. Bom você explanou bem, mas porque é tão complicado? Por que uma das partes é:
    – mal resolvida;
    – invejosa;
    – possessiva;
    e sobretudo egoista por não respeitar o filho ou o marido ou vice e versa.
    Já tenho bastante experiência nesse setor.
    Falta: amor, humildade,compreensão, tolerância, estar feliz com o que se é e com o que se possui e nao cobiçar a vida nem as posses dos filhos e noras e sobretudo viver a própria vida e não a dos outros não é?

  5. Amandinha, sua linda, quase nunca comento seus posts – falta tempo – mas tenho que falar: coisa boa é escrever o que sabe, né? Vc sempre “arregaça” e eu adoro isso!
    Bjooo

    1. Oi Juuu, rsrs, arregaço nada, rsrs! Obrigada pelo elogio! Daqui pra frente boto quenteeee!!! Bjoss

  6. Boa tarde a todas, quero deixar aqui a minha admiração pelo site ” patricinha Esperta ” e em especial a Amandinha, eu comentei neste assunto de sogra x nora e logo depois a Amandinha me retornou o email com muito amor e carinho, fiquei feliz com a importância que ela me deu, e a solidariedade a minha dor, agiu como uma pessoa que já me conhecia a tempos e realmente se importava comigo, muito obrigada Amanda, é muito bom saber que temos pessoas como vc no mundo, sinceramente pessoas como vc são muito importante para a humanidade, que geralmente tão sofrida e tão carente, precisando de uma palavra de força e incentivo, Parabéns pela pessoa que vc é, muito beijos e muito mais sucesso !Bjs também para as outras meninas do Patricinha que sei que são todas maravilhosas.

    1. Elisângela, obrigada pelo carinho! Esse cantinho é especial para as leitoras virem desabafar e com toda certeza eu acolho e ofereço meu ombro amigo! Fico feliz que eu tenha ajudado você e saiba que pode vir e mandar email sempre que precisar, tá? Bjos!!

  7. Esta é uma situação que venho enfrentando em minha vida conjugal. A família do meu marido reside longe, mas se faz presente em todas as situações, desde assuntos pequenos como a compra de uma TV até onde e o que fazer com nosso dinheiro. Sei que a culpa em grande parte é do meu marido, que de certa forma ainda não saiu da barra da saia da avó e da calça do pai (sim, aqui as ‘megeras’ são o sogro, mãe da sogra e cunhada. A sogra também sofre com eles!), mas cheguei a conclusão que o que falta é amor e respeito por parte destes cidadãos que estão mais preocupados em manter uma pose, mesmo que o preço seja tentar desvalorizar o ‘outro’ para tentar se sentir um pouco melhor.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.