Menu
in

Inimiga Íntima: Candidíase

Esse é um tema chato, mas que a gente precisa falar porque atinge uma quantidade enorme de mulheres, sobretudo no verão!

O fungo que causa a candidíase faz parte da flora vaginal, mas quando acontece algum desequilíbrio ele se multiplica e passa a ser problemático.

Inúmeros fatores, como o estresse, a mudança no pH vaginal, os anticoncepcionais, a alimentação, a baixa imunidade, a gravidez e a menstruação, dentre outros, podem acabar estimulando esse processo infeccioso.

Mas é no verão, época de sol, piscina e mar,  que a coisa complica, pois nessa época as condições são bastante propícias para que os fungos de reproduzam.

O fungo que causa a cândida  é favorecido pela umidade, e por isso o verão é uma época em que essa infecção aparece com força total, pois é normal, na temporada de calor, ficarmos por muito tempo com biquíni molhado.

Mas a culpa de tudo não é do biquíni. Calcinhas de tecidos sintéticos e roupas muito apertadas aumentam o calor e a umidade, o que favorece a proliferação do fungo causador da cândida.

Os sintomas da cândida são diversos e incômodos, e vão desde coceiras, dor ao urinar, dor nas relações sexuais, corrimento esbranquiçado até pequenas feridas.

Na grande maioria dos casos a cândida apresenta recidivas constantes, o que acaba se transformando em um tormento na vida de qualquer mulher.

Combater a cândida é trabalho árduo e engloba fatores como alimentação e higiene íntima.

Os alimentos doces, carboidratos e as bebidas alcoólicas devem ser evitados ou reduzidos, já que alteram o pH vaginal, gerando desequilíbrio, o que acaba por estimular a proliferação da candidíase.

Alguns estudos indicam que o óleo de coco extra- virgem, aquele que a gente usa na dieta, combate a cândida, assim como alimentos ricos em vitamina C, pois aumentam a imunidade do organismo.

A higiene íntima é de fundamental importância, de forma que é preciso usar sabonetes que respeitem o pH vaginal, que é diferenciado. Sabonetes neutros e sabonetes íntimos, com o pH específico, são os mais indicados, porque eles não são agressivos para as glândulas sudoríparas, o que evita a evolução da cândida.

Apesar de não ser considerada uma doença sexualmente transmissível, a cândida pode ser transmitida através do ato sexual, o que torna obrigatório o uso do preservativo (que é obrigatório sempre, viu????).

O tratamento da cândida é feito com antifúngico de uso oral e pomadas, que devem ser receitadas por um ginecologista.

Beijos

Ju

@JuLopesL / julianalopes@patricinhaesperta.com.br

https://www.facebook.com/JuLopesPE

ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Escrito por Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza.

Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá?
Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

Comente