Pode Pintar E Alisar No Mesmo Dia?

Sobre Ju Lopes

JULIANA LOPES – Baiana que detesta o calor, advogada, leonina até o último fio de cabelo, hiperativa, escreve sobre quase tudo e é viciada em cosméticos, maquiagem, livros, viagens e boas risadas. Já fez vários cursos, desde Astrologia a Feng Shui, seu hobby é escrever e ela dá pitacooo em tudo aqui no blog. Escreve nas colunas Saúde, Dieta, Beleza, Cabelos, Moda, Tamanho GG, Papo de Mulher, Livros e Tutorial de Maquiagem.

E-mail: Julianalopes@patricinhaesperta.com.br

Visite Minha Página
VER + DICAS

Muita gente fica em dúvida sobre o fato de pintar e alisar o cabelo no mesmo dia. Esses dois procedimentos são compatíveis? Qual deve ser feito primeiro?

Como quase tudo que se refere a químicas capilares, a resposta é DEPENDE.

Depende da química utilizada  para alisar, depende da química que você tem no cabelo,  depende do tipo de tintura, depende da compatibilidade entre o ativo alisante e a coloração e depende do estado em que se encontra o cabelo.

Como se vê, são vários “dependes”!

A primeira coisa a se analisar é se a química que você pretende aplicar é compatível com a que você já tem no cabelo, seja alisamento ou  coloração.

Foto: Reprodução

Depois disso, é hora de analisar qual ativo alisante você pretende usar. É guanidida? É tioglicolato? É formol ( nãooo)? É algum outro hidróxido?

O tioglicolato é compatível com coloração, desde que o oxidante utilizado seja de, no máximo, 30 volumes e o cabelo esteja em boas condições.

A guanidina é compatível com colorações sem amônia, e há cabeleireiros que, dependendo da situação do cabelo, utilizam coloração com oxidante até 20 volumes.

O hidróxido de sódio, por sua vez, é incompatível com coloração.

Observa-se, assim, que  cada ativo alisante possui propriedades próprias, que são diferentes entre si e que determinam a compatibilidade com as colorações.

Se as químicas são compatíveis, é hora de analisar o estado do seu cabelo.

Para isso, o teste da mecha é indispensável, já que ele pode evitar muitos desastres, como o corte químico, por exemplo.

Além do teste da mecha, observem o estado geral do cabelo. Ele está frágil? Poroso? Ressecado? Com processo de quebra e/ou de queda?

Se qualquer dessas alternativas for verdadeira, trate primeiro o fio. Faça reconstruções, hidratações e tudo o mais o que o cabelo precisar para ficar saudável, e só depois, com o cabelo recuperado, pense em fazer aplicar uma química, seja ela qual for.

O ideal seria pintar e colorir em momentos diferentes, mas confesso que eu sou uma das que faz tudo no mesmo dia, porque pressa é meu sobrenome!

Aí já vem outro questionamento: caso faça tudo no mesmo dia, qual devo fazer primeiro?

Essa resposta você encontra no próximo post!

Beijos

Ju

julianalopes@patricinhaesperta.com.br

Sobre Ju Lopes

JULIANA LOPES – Baiana que detesta o calor, advogada, leonina até o último fio de cabelo, hiperativa, escreve sobre quase tudo e é viciada em cosméticos, maquiagem, livros, viagens e boas risadas. Já fez vários cursos, desde Astrologia a Feng Shui, seu hobby é escrever e ela dá pitacooo em tudo aqui no blog. Escreve nas colunas Saúde, Dieta, Beleza, Cabelos, Moda, Tamanho GG, Papo de Mulher, Livros e Tutorial de Maquiagem.

E-mail: Julianalopes@patricinhaesperta.com.br

Visite Minha Página
VER + DICAS
Saiba Mais

#QUEROMUITO

A NOSSA LOJA ONLINE
 Oferta de 30% Progressivas
QUEROMUITO