História do blush

roupa blush

O blush é uma modalidade de maquiagem que serve para adicionar cor às maçãs das bochechas, eliminando a palidez da pele e oferecendo um ar de saúde. O termo blush deriva da língua inglesa e significa rubor, sendo que na língua francesa o produto é chamado pelo nome de rouge e significa vermelho. No nosso bom e velho português, por sua vez, o termo blush, significa corado. Contudo, nem sempre este produto de maquiagem foi bem aceito pelas sociedades dos séculos mais antigos, pois o padrão de beleza consistia em usar pó de arroz branco para deixar a pele pálida.

Inicialmente usado por homens para demonstrarem o seu poder de nobreza, o pó de arroz quanto mais branco e distante da realidade de hoje era melhor. Ao longo do tempo, as mulheres destes nobres também entraram na roda e começaram a usar maquiagem, que era um artifício exclusivo dos ricos que estavam sob o comando de algo. Com o passar do tempo e principalmente após a abolicação da escravidão, o padrão de beleza se alterou e surgiu então as tendências da moda. Foram as mulheres gregas e as mulheres romanas que passaram a “ruborizar” ou “corar” o rosto com pigmentos.

O pigmento retirado do extrato de alguns elementos naturais, como, por exemplo, o açafrão, a beterraba, o cinábrio, a cochonilha, o fiicus, a henna e o ocre foram os primeiros modos de “ruborizar” ou “corar” o rosto através da cor vermelha. Nesta época, a consistência desta espécie de blush era o equivalente a uma pomada hoje em dia, conferindo uma marcação mais pesada no rosto, o que não é seguido hoje em dia, afinal o ar de saúde é atribuído através do leve corado e não da pintura com blush. Posteriormente, foram lançados blush em creme, gel e também pó.

Quem acha que com o fim do império os homens deixaram de usar maquiagem, engana-se. Eles passaram a utilizar até mesmo os blushes de suas respectivas mulheres. Após a descoberta da madeira do pau-brasil e do zarcão, como é conhecido o tetróxido de chumbo, todos passaram a acrescentar extratos destes produtos na fórmula do blush, sendo estes ingredientes utilizados até o ano de 1920 apenas. Posteriormente, o blush ganhou ingredientes menos prejudiciais para a saúde, como, por exemplo, caulim, caulinita, sericita, silicato de alumínio e silicato de magnésio, sendo um destes ingredientes hoje em dia bem mais conhecido como talco.

Mas, também houveram fórmulas de blushes feitos com pigmentos retirados do extrato de algas marinhas e também de frutas vermelhas, como, por exemplo, as amoras, mantendo o caulim, que é responsável pela absorção da oleosidade da pele. Somente um bom tempo depois foi desenvolvido o primeiro blush a nível industrial e não artesanal, na França, fazendo com o que o produto passasse a ser produzido em série. O produto de maquiagem em questão só se popularizou de fato lá por volta dos anos 80, há pouco tempo se for parar para pensar, fazendo os Estados Unidos abrir a primeira concorrência.

Ao longo destes 34 anos que se passaram até a atualidade, a fabricação do blush em série e a concorrência acirrada tornaram possível a existência do produto de maquiagem como o mesmo é comercializado e adquirido por você. Anualmente são lançados no mercado da beleza várias cores de blushes para que você opte por uma tonalidade de acordo com o seu tom de pele, sendo que ainda é possível escolher por produtos mates ou brilhosos. As marcas que concorrem entre si lutam para lançar blushes com cada vez mais durabilidade, para a alegria da mulherada sedenta por novidades sobre maquiagem e moda.

ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Sobre Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. 👯 Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza.

Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá?
Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas 😘

Minha Página
Saiba Mais

Kalina Amaro: kalina@patricinhaesperta.com.br

contato@patricinhaesperta.com.br / redacao@patricinhaesperta.com.br

* Saiba como escrever para o site PatricinhaEsperta CLIQUE AQUI.

Demaquilante Comum x Demaquilante Bifásico
História do Pó Compacto

Faça seu comentário aqui

RSS 2.0

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.