in

Qual Máscara Você Está Usando Hoje?

Cópia de Às vezes PERDER pode ser o melhor que pode te ACONTECER - Qual Máscara Você Está Usando Hoje?
Qual Máscara Você Está Usando Hoje?

Qual máscara você está usando hoje?

Falando com minha amiga Lu hoje no WhatsApp estávamos filosofando e conversando sobre:

Agradar a nós mesmos ou aos outros?

Nossos desejos verdadeiros e ações são impactados pelos que os outros pensam?

Você faz tudo o que deseja ou seus atos são adaptados para serem validados?

Uma vez li uma frase do Carl Jung que falava:

“Todos nós nascemos originais e morremos cópias”.

Todos nós, de alguma forma ou de outra tivemos que em algum momento se conter e se adaptar às regras, ao cenário, a uma “tribo” para não sermos totalmente excluídos ou por pura validação.

A verdade é que são raras as pessoas 100% livres e originais perante a sociedade… Na verdade, “fora do mundo dos artistas”, eu só conheço uma pessoa próxima assim (meu pai). Ele é meu maluco beleza favorito, enquanto alguns o consideram “louco” eu o considero digamos singular, original e livre.

Lembro que na adolescência eu era considerada a Ovelha Negra da família, eu era totalmente questionadora, detestava a hipocrisia ao meu redor e tinha muita dificuldade em seguir às “regras”.

Mas com o tempo, agora com 30 anos, vejo que a vida vai nos adequando como pessoa, nossa essência interna continua bem aqui dentro, mas nossa originalidade vai se transformando em outra e se adequando conforme situação e lugar. Chamam isso de maturidade…

E na vida adulta acaba sendo cada vez mais difícil sermos nós mesmos, com o casamento, por exemplo, vem inconscientemente ou conscientemente comportamentos, modo de pensar, muitas vezes impostos pelo parceiro.

Com os filhos a pressão só aumenta: que imagem devo passar pro meu filho?

Deve ser por isso ainda não tive coragem de ser mãe, penso que é muita responsabilidade: ensinar, corrigir, dar o exemplo, criar regras e entregar ao mundo um ser melhor que eu… E a auto responsabilidade em não errar, em não decepcionar, da cobrança em ser perfeita…. E a família comercial de margarina é a favorita da sociedade. É tão mais confortável participar de uma foto bonita e (míope) do porta retrato familiar sorridente e muitas vezes dissimulada, do que encarar os defeitos e dificuldades de cada um sem filtro… aceitando o outro em sua realidade nua e crua entre 4 paredes. Apresenta-se de uma forma para a sociedade, no entanto, intimamente, travamos uma guerra interna entre SER, QUERER, e VIVER bem em sociedade ou agradar a si mesmo.

Cada pessoa é um universo interno, em busca da tal FELICIDADE. A verdade é que não somos – e não devemos ser uma coisa só (…) Então, entre tantas vivências, é errado julgar e dizer que estamos sendo “falsos”, “egoístas”, “insensíveis” ou com outra palavra que usamos tanto hoje em dia “sem empatia” e sim, o que é preciso para sobreviver: assim com fazem os animais em cada ambiente. No fundo somos animais, só que mais evoluídos e com sentimentos múltiplos: em busca de sobrevivência. Somos seres humanos que por dentro gritamos por liberdade, mas por fora presos aos rótulos e validações.

Eu acho que eis o desafio da vida, sermos nós mesmos, respeitando nossos valores e crenças ou agradar aos outros.

Cabe a cada um tentar ir se adaptando conforme dá e não deixar a sua criança interna, seu verdadeiro eu ir morrendo aos poucos.

Quero dizer que, essa é uma opinião minha, não sou psio e aqui não é uma sessão de terapia.. Compartilho aqui minhas questões, pensamentos e etc. Também sou cheia de máscaras se adequando nessa porra toda. E se você acha que você não usa nenhuma máscara, me diga como é ser um (ser evoluído nesse mundão de Deus)?

E termino esse texto com um DESAFIO para você com algumas questões:

Quem você já foi um dia e teve que se adequar ao que os outros querem?

Quem é você de verdade?

Já pensou o quão extraordinário seria se você conseguisse usar menos máscaras e ser mais você por mais TEMPO?

Que tal tentar ser você HOJE?

 


Quero muito agradecer a Lu Brotto (minha mana de coração) por ter colaborado na criação desse texto. Seus toques fizeram toda diferença LU. Love Y!

Escrito por Kika

Eu acredito na beleza, na beleza que vem de dentro para fora. Na beleza de quando a gente olha no espelho e se senti feliz em não seguir padrões - só feliz com nós mesmas. Acredito em almas bonitas e na beleza da natureza. Amo os animais e as flores. Adoro uma boa vaidade também, afinal, um bom batom vermelho e as unhas feitas deixam os dias mais coloridos. Vem comigo que vou te mostrar um pouco do meu mundo. E-mail: kika@patricinhaesperta.com.br @blogdakika

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank - Ansiedade E A Quarentena: Meu Relato

Ansiedade E A Quarentena: Meu Relato

blank - Ás Vezes Perder Pode Ser o Melhor Que Pode Te Acontecer

Ás Vezes Perder Pode Ser o Melhor Que Pode Te Acontecer