Simbolismos do Natal – Parte 1

Quando chega dezembro a cidade se transforma: luzes, bolas coloridas, presépios e enfeites diversos esperam o Natal, que é a, sem dúvida, a maior comemoração cristã.

Engraçado é que, apesar de ser uma festa celebrada nos quatro cantos do país, a grande maioria de nós não tem a menor noção da história do natal, muito menos dos simbolismos que o representam.

Sabe-se que o natal já era comemorado no Império Romano no ano de 336 d.c. e estaria relacionado ao solstício de inverno do dia 22 de dezembro no hemisfério norte, uma festa pagã festejada pelos povos antigos por representar o nascimento e o renascimento. Alguns dados históricos apontam, ainda, que o natal veio para substituir a comemoração romana do nascimento do “deus sol invencível, que era o deus preferido de Constantino,  imperador romano.

É certo que somente no século IV é que ficou estabelecido que 25 de dezembro era a data do nascimento do Cristo.

Antigamente, as comemorações de natal duravam 12 dias, já que esse foi o número de dias que os três reis magos demoraram para chegarem a Belém e entregaram os presentes de Jesus.

A idéia de trocar presentes no natal, que se estende até hoje,  surgiu por causa dos reis magos e simboliza a oferta de Deus, que deu ao mundo o seu filho e , ainda, o compartilhar e a generosidade em doar ao outro um pouco do que se tem.

Os presentes geralmente são colocados aos pés da árvore de Natal que, desde muito tempo, é representada pelo pinheiro. A escolha do pinheiro como árvore de natal não foi aleatória, pois deriva de uma citação bíblica onde Deus diz que Ele é como o cipreste, que mantém as suas folhas sempre verdes. Em outros trechos bíblicos existem referências que dizem que  mesmo diante da falta de esperança, da seco ou do inverno, Deus faz brotar o verde de uma nova esperança. Então, a árvore de natal, que representa o renascimento da esperança, teria  que ser aquela que conservasse suas folhas verdes durante todo o tempo e por isso os europeus escolheram o pinheiro, que mantém as folhas verdes mesmo no inverno mais rigoroso.

Outra versão diz que o Padre  Martinho Lutero enxergou entre os pinheiros da floresta  as estrelas do céu e por causa disso resolveu levar para casa um galho. Lá chegando, colocou o galho de pinheiro em  um vaso e acendeu velas ao redor para ter a mesma impressão das estrelas que viu na floresta de pinheiros e com isso  mostrar como deveria ter sido o céu na noite em que Jesus nasceu.

Sabe-se, ainda, que nas homenagens a Baco, os romanos penduravam máscaras desse deus em pinheiros para comemorar a saturnália, uma festa pagã que coincide com o natal cristão. De toda forma, o pinheiro simboliza a fartura, a esperança e os bons frutos.

A estrela colocada no topo do pinheiro e as estrelas espalhadas pela árvore indicam o caminho que os reis magos percorreram para chegar até o menino Jesus. Ela simboliza o extraordinário e aponta para o local onde o Cristo nasceu.

Até as velas, tão usadas nas noites de Natal, possuem um simbolismo. Elas simbolizam, no cristianismo,  a luz ( o Cristo) que veio ao mundo, mas já era utilizada nos rituais pagãos para simbolizar os deuses ancestrais e a luz que mantinha viva o deus Sol.

O sino simboliza a chegada de Jesus e representa o respeito por tudo o que é sagrado.

No próximo post vou falar sobre os demais símbolos, tá?

Beijos

Ju

@JuLopesL / julianalopes@patricinhaesperta.com.br

https://www.facebook.com/JuLopesPE

 

Simbolismos do Natal – Parte 1
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.