Por trás das unhas

Unhas bonitas, mas também exigem muita atenção!

Para muita gente, as unhas só fazem parte da estética, sempre cobertas por uma cor de esmalte da moda. Os homens se preocupam quando elas encravam ou surgem as constrangedoras micoses. Porém, as unhas das mãos e dos pés representam um órgão ativo do corpo e podem ser um indicador de que o organismo está em desequilíbrio.

A mudança na coloração, no formato e entre outras alterações, podem ser sinais de algum distúrbio. Por isso elas devem ser bem cuidadas, tratadas e observadas, pois por meio de algumas alterações, é possível detectar diversos tipos de doenças.

Quando a pessoa apresenta desnutrição grave, por exemplo, pode-se ver uma área de afinamento das unhas. Compridas ou curtas, o importante é ter as unhas sempre limpas. A própria pessoa deve observar as unhas e qualquer alteração deve ser cuidada com rigor, pois sinaliza desde falta de nutrientes, estresse e micoses, até problemas mais sérios, como cirrose hepática. As alterações também podem sinalizar distúrbios dermatológicos, como dermatite de contato e psoríase.

As manchas brancas nem sempre são sinais de distúrbio grave. Na maior parte das vezes, as manchinhas esbranquiçadas e pequenas são resultado de batidas leves que provocam pequenos traumas na matriz. Mas se elas persistirem, procure um médico para uma investigação.

Também é preciso ficar atenta à forma e à textura das unhas. As temidas micoses (infecções por fungos) se manifestam pelo aumento da espessura da unha, pelo deslocamento ou pela alteração da cor. Quando a causa é orgânica, a infecção surge nas mãos e nos pés. Se não tratadas a tempo, com remédios orais ou tópicos, levam à perda da unha. Se isso ocorrer, ela demora cerca de seis meses para crescer novamente.

Às vezes, o uso de esmaltes é uma boa solução para as unhas fracas. Em consequência de medicamentos ou de baixa resistência, esse produto pode trazer algum benefício. Se o enfraquecimento é constante, a melhor alternativa é procurar ajuda médica.

Mudanças repentinas ou significativas na aparência das unhas podem ser o primeiro sinal de alguma doença. Quando as unhas estão secas, opacas e quebradiças, podem ser sinal de anemia e mau funcionamento da tireoide. Quando estão grossas, amareladas ou acizentadas, pode ser problema renal. Quando elas crescem rápido além do normal e com um tom esbranquiçado, sinal de doenças hepáticas. Quando as unhas começam com um curvamento para baixo, sinal de problemas cardíacos. Quando estão avermelhadas, sinal de diabetes e quando as unhas estão doloridas e frágeis, com pontas de sangue, os problemas são gastrointestinais.

Portanto meninas, vamos ficar atentas para qualquer alteração nas nossas unhas.

Beijos

 

 

Por trás das unhas
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

5 Comments
  1. amei a informação e já passei a dica para minha mãe !!!!muito bom ter informações diversas como a de voces ,parabéns !!!

  2. Barbara Motta disse:

    Parabéns Mae pela publicação!

    P.S: minhas belas unhas na foto
    Haha

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.