Uma Reflexão Sobre O Consumo de Luxo

Tenho achado que as coisas andam meio “sem noção”, por isso acho válido refletir um pouquinho sobre o tal mercado de luxo.

O produto de luxo traz em si um símbolo, um signo, um significado agregado, que não passa de uma construção social, pois o produto de luxo não existe, o que existe, segundo Twitchell, é o conceito do que constitui um produto de luxo.

Assim, quem compra um produto de luxo está, na verdade, comprando o significado daquele objeto e não o objeto em si. Paga-se, pois, pelo sentido imaterial que acompanha o produto. E é por esse motivo que o mercado de luxo cresce cada dia mais, pois junto com o produto compra-se status, diferenciação e reconhecimento social.

Esses três pontos – status, diferenciação e reconhecimento social – são de extrema importância na sociedade de hoje, onde as pessoas possuem uma necessidade de serem aceitas pelas outras, de pertencerem a um “clube”, a um grupo exclusivo.

Essa necessidade de admiração e reconhecimento é tida como importante pois, na grande maioria das vezes,  é através do outro que se forma a auto imagem. Assim, a pessoa acredita ser o que dizem que ela é, e se a imagem que ela passa é de luxo e de poder, e as outras pessoas enxergam esse simbolismo, é nisso que ela vai se basear na formação da sua identidade.

Além disso, o consumo é um fator de delimitação do status social, de forma que ao consumir um produto de luxo tem-se a ilusão de estar-se adentrando em uma categoria social superior, o que faz com que milhares de pessoas façam o possível e o impossível para adquirir esses produtos.

Eu não sou contra o consumo de luxo. Eu sou contra o consumo inconsciente, e é isso que eu vejo na grande maioria das vezes, porque uma coisa é uma pessoa que tem capital cultural e decide comprar um produto de luxo com base no conhecimento que ela tem  sobre o  produto, e outra bem diferente é uma pessoa que consume luxo sem ter a menor idéia da qualidade ou das características do produto, que consome o produto simplesmente pelo status.

Sendo bem clara: pagar por qualidade é válido, inteligente e necessário. Pagar por sentido imaterial, seja qual for,  do que quer que seja é, PRA MIM, desaforo com o meu dinheiro, e meu dinheiro não aceita desaforo!

E vocês, o que acham disso?

Beijos

Ju

@JuLopesL / julianalopes@patricinhaesperta.com.br

https://www.facebook.com/JuLopesPE

Uma Reflexão Sobre O Consumo de Luxo
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

4 Comments
  1. Andreza Pardini disse:

    Gosto de comprar produtos pela qualidade e não pela marca, dispenso a opinião futil das pessoas e uso roupas, sapatos, acessórios seja de onde for independente da marca se gostei uso e pronto.
    Bjs!

  2. Conheço pessoas que julgam os outros pelas marcas de roupas que usam e acho isso uma grande bobagem.
    Gosto de fazer boas compras e principalmente levo em consideração o custo beneficio dos produtos, independente da marca.
    Parabéns pelo artigo, ótimo convite para uma refelxão.

  3. aaff tenho q mudar meu jeito,soh gosto de roupas de marcas e tudo mais!!!!!!!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.