Corte químico – Como evitar

Antes do corte químico, depois da fatalidade e após passar a tesoura
Antes do corte químico, depois da fatalidade e após passar a tesoura

Corte químico: saiba como evitar que isso aconteça com você!

Agora você já sabe o que é corte químico, o que aconteceu com meu cabelo e no episódio de hoje ensino duas maneiras para evitar que isso aconteça com você. Se ainda não viu a imagem mostrando a trajetória desde o corte químico, confira abaixo:

Converse com seu cabeleireiro

A primeira dica exige muita sinceridade na hora de contar pro cabeleireiro escolhido para realizar uma química em você. Conte seu histórico capilar com detalhes, se conseguir lembrar o nome dos produtos que já utilizaram no seu cabelo e a marca vai ajudar muito no veredicto final. Eu sei bem que algumas não dão o devido valor a este 1º passo, mas ao fazer isso conseguimos evitar problemas futuros, não só co corte químico, me refiro também à quebra,  queda, alergias…

Dependendo da quantidade de informações que você passou e da experiência do profissional é bem possível que ele consiga dizer se você pode fazer tal química ou não. Por isso não vale esconder nenhuma informação hein!

E não  fique irritada quando um profissional falar que você não pode fazer uma química no momento, ou que seu cabelo não suporta e está fragilizada. Seja inteligente, siga o conselho do cabeleireiro ou cabeleireira, eles sabem o que fazem, estudaram para isso. É bem melhor dar ouvidos a instrução que sofrer consequências graves depois.

Exija o teste de mecha

Para ser bem sincera, fui em poucos salões que me sugeriram o teste de mecha, apesar de constar essa recomendação na maioria dos rótulos explicativos que vem junto com os produtos. Este passo é ainda mais importante que o primeiro porque é justamente aqui que você terá certeza se seu cabelo irá aguentar a química ou não e se há compatibilidade entre as químicas que você fez no passado e a que deseja fazer.

Principalmente pelo fato de que nem todas fazem questão de saber quais ativos estão presentes no produto, se entregam nas mãos do cabeleireiro. Eu sou uma cliente muito exigente, faço praticamente um “entrevista”, pergunto tudo para não ter problemas depois.

O teste de mecha é muito simples, o profissional vai separar uma parte pequena do seu cabelo, geralmente em uma região mais escondida, e aplicar o produto respeitando o tempo de ação. E nos casos de descoloração até que o cabelo chegue ao tom desejado. ao término do teste você terá certeza se está liberada ou se seus fios estão fortes o suficientes para aguentar o tranco. O cabeleireiro vai observar se a mecha ficou elástica, se houve quebra ou algum outro dano.

Compatibilidade

corte químico
Meu cabelo depois que consegui recuperar

Quando tiver dúvida quanto a compatibilidade de um produto, dá uma olhadinha neste resuminho aqui:

  • Guanidina é incompatível com o hidróxido de sódio e o tioglicolato.
  • Tioglicolato é incompatível com hidróxido de sódio e guanidina.
  • Enquanto o hidróxido de sódio não é compatível com nenhuma química, somente com ele mesmo.

Já quando o assunto é coloração e descoloração é essencial fazer o teste de mecha, afinal cada cabelo reage de uma forma diferente, tem um histórico diferente e também uma resistência diferente. Os teste aqui é lei de sobrevivência!

Espero ter te ajudado e esclarecido algumas dúvidas. No próximo vídeo vou mostrar quais produtos estou utilizando no processo de recuperação do meu cabelo.

Leia também: Corte Químico? Veja Os Produtos Pra Salvar Seu Cabelo!

Corte químico guia completo:

Beijo da Neny!!

Corte químico – Como evitar
2.3 (46.67%) 6 Votos

Kemilly Bertini

Jornalista, comunicativa, pura energia. Apaixonada pelo universo feminino, dar dicas sobre beleza, moda, cabelos, maquiagem sempre foi seu maior hobby e ajudar mulheres a descobrirem a melhor versão de si mesmas é um dos seus prazeres.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.