Relato de Caso

Meninas,  sempre recebo muitos e-mais contando histórias relacionadas aos posts, sobretudo os que eu posto no Papo de Mulher. Essa semana recebi muitos relatos sobre a questão da interrupção da menstruação, então preciso agradecer a vocês pela confiança em dividir comigo algo que é tão íntimo. Obrigada, viu?

Agora preciso fazer um agradecimento especial a M.M, uma seguidora aqui do Patricinha Esperta que me enviou um e-mail relatando as experiências dela com a interrupção da menstruação   e autorizando a publicação do seu desabafo. Obrigada pela confiança e pela coragem!

Vejam o e-mail:

” Olá, Ju!

Acompanho e admiro seus posts. Portanto, vi desde o início a discussão sobre menstruar ou não e achei tão intteressante que pensei em responder mais tarde… Acabei salvando como IMPORTANTE no meu e-mail, mas não tive tempo de fazê-lo.
Bom, vou contar meu caso… que você pode até publicar, desde que preserve meu nome, tá?

Eu menstruei aos 11 anos, quando ainda brincava de bonecas, embora pensasse em meninos. Risos. Antes disso, uns seis meses, sofri com uma enxaqueca absurda, de enjoar, vomitar e desmaiar na escola. Meus pais foram chamados e ficaram preocupados com esse quadro, até descobrirem que era só meu organismo avisando que eu tava virando mulher. Quando pensei que minha vida fosse melhorar, piorou, e muito. Eu tinha cólicas insuportáveis e durante cinco dias no mês eu praticamente anulava a minha vida. Nessa época, eu era atleta, nadava, e ficava sem treinar durante esse período. Essas cólicas me faziam desmaiar, perder aulas e até visitar o hospital para ser medicada com remédios na veia, a fim de  ficar dopada, dormir e não sentir dor. Além disso, a TPM era tão intensa que eu chegava a um nível de insanidade tão absurdo que cheguei a tomar antidepressivos. Era como se uma entidade ruim tomasse conta de mim por cinco dias/mês.

Vivi assim por anos… até meus 15/16, quando resolvi apelar pra acupuntura e, como em outras situações na minha vida, melhorei bastante. Incomodava, mas  eu já podia suportar o incômodo e ter uma vida quase normal. Esse mesmo fisioterapeuta/acupunturista sugeriu que eu interrompesse a menstruação. Minha ginecologista acatou esse meu pedido e eu tentei todos os anticoncepcionais, tomando sem interrupção, mas, mais uma vez, meu organismo dava sinais de que eu era intolerante a hormônios… E eu engordava 5kg a 8kg por mês. Como eu sempre tive tendência a engordar e dificuldade em manter o peso baixo após dietas absurdas, a culpa era sempre minha. Tentei academia, dieta e ainda assim engordava horrores. Com essa brincadeira, engordei 35kg. Quando parei com os hormônios anticoncepcionais, só consegui perder 10kg do que eu havia engordado. E aí veio a depressão profunda!

Mais tarde, houve a necessidade de tomar anticoncepcionais para o fim exato que ele se destina. Não queria engravidar e estava noiva, com uma vida sexual ativa e desejando abrir mão da camisinha. O único método anticoncepcional que me restou foi o DIU de Cobre. O DIU Myrena tem hormônio e o IMPLANTE proposto pela equipe do Dr. Elsimar Coutinho era um investimento alto para também não dar certo, já que se tratava de mais hormônio. Nesse momento, procurei a clínica CEPARH, em Salvador, de Dr. Elsimar Coutinho, com uma equipe maravilhosa, especializada em planejamento familiar, reprodução humana e DST’s, dentre outras coisas. A primeira médica, Dra. Wendy, se recusou a colocar o DIU porque aumentava o fluxo, as cólicas e eu não tinha filhos, o que era uma exigência do método, mas Dr. Hugo Maia concordou em fazer o teste porque eu já havia testado outros métodos mais convencionais, sem sucesso e também porque o DIU, aumentando o fluxo, poderia diminuir minhas cólicas. Há três anos e meio uso o DIU de Cobre. Faço exames de 6 em 6 meses para verificar se tem infecção, se está situado e com relação às cólicas, incrivelmente, diminuiu bastante, consideravelmente. Passei a menstruar por 6/7 dias e só sentia cólica nos dois primeiros, mas bem menos intensa, levando uma vida absolutamente normal. Com relação à TPM, quase nem sinto; é raro, de modo que penso que é até psicológico.

Recentemente, há dois meses, voltei a sentir cólicas intensas e meu fluxo intensificou bastante. Ainda não descobri o que é, porque não consegui marcar consulta (problemas de plano de saúde), mas fiz uma ultrassom e descobri que um ovário está com volume três vezes maior que o normal, o que pode ser por conta da intensidade da menstruação, segundo minhas pesquisas.

E pior: conversando com minha vó, uma pessoa simples, ela me disse que uma irmã dela morreu aos 16 anos, de menstruação. Em outras palavras, a irmã dela faleceu aos 16 anos por endometriose ou qualquer outra doença decorrente da menstruação, do fato de ela menstruar. Vale lembrar também que minha mãe, minha avó e duas tias passaram por histerectomia (retirada de útero) por conta de doenças provocadas pela menstruação.

Então, se me perguntar se eu gosto e quero menstruar, respondo que NÃO!!! A não ser pelo fato de poder gerar bebês, não vejo nenhuma utilidade nisso, ainda que pensem que é anti-natural. E cada um tem sua opinião… que deve ser respeitada.

Obrigada pelos posts e desculpe o meu desabafo.

Atenciosamente,

M.M.”

Acho esse tipo de post importante pois são histórias reais, que trazem fatos poderiam ter acontecido com qualquer uma de nós. São histórias que servem de alerta, são histórias que nos informam e que podem nos ajudar de inúmeras formas.

Dessa forma, quero deixar claro que o espaço está aberto para vocês relatarem suas experiências , caso queiram, sejam elas favoráveis ao que eu acredito ou não.

E, mais uma vez, obrigada M.M!

Beijos

Ju

julianalopes@patricinhaesperta.com.br

Relato de Caso
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

7 Comments
  1. oi Ju, acabei de ler o caso da MM e resolvi te escrever pra contar que passei por tudo isso, começou com 11 ano, minha primeira menstruaçao, passei por problemas e dores com ela até na fase adulta, faltava á aula, faltava no serviço, tomava horrores de analgesicos, sofria muito, tive 4 gestaçoes, 2 filhos e meu utero simplesmente estragou, tive ate um cancer no colo do utero, enfim a PAZ, com 40 anos fiz histerectomia e hoje posso dizer: meninas o utero só serve se voce quiser filhos, fora isso é dor e doenças.Ju, concordo com voce em interromper a menstruaçao se voce assim quiser, o corpo de cada um pertence a cada um, nao vamos julgar ninguem, só quem sente é que sabera o que fazer.Bem essa é minha humilde opiniao e meu relato de vida, se ajudar alguem pode publicar, tá?
    ah, adorei seu blog
    beijos

  2. Ju, MM e meninas,

    Como a MM, parecia que ia morrer na primeira vez, na segunda foi tão ruim como…e eu já tinha meus 12. Enxaquecas me perseguiam desde os 8 anos e pioraram. Parecia que estava morrendo, doia tudo, faltei aula, não saia nem da cama.

    Desde então faço uso de anticoncepcional, no começo para o organismo ir adaptando foi com qualquer mulher, depois fui tomando continuadamente até fechar o ano. Isso começou a 20 anos atrás, sendo que até a 11 anos atrás, quando mudei para onde moro atualmente e tive que trocar de ginecologista, meu atual anjo da guarda já tem anos no ramo rs rs e a mente super aberta e pelo fato de concordar com o fato de que mulher não precisa menstruar se assim desejar, troquei de anticoncepcional e a pausa que eu fazia de 3 em 3 meses, não fiz mais, no começo fazia de 6 em 6 meses, depois 1 vez por ano e atualmente só se eu quiser.

    Faço meus exames normalmente…apenas minhas enxaquecas continuam, pois surgiram antes de tudo começar.

    Adorei seu post, claro que algumas vão apoiar como eu, a MM e demais e que algumas não. Afinal, cada uma tem uma opinião e como disse a Margareth, cada uma tem seu corpo e tem seu livre arbitrio.

    Bjos e parabéns pelo site que adoro e pelo post.

  3. Marcia Nazario disse:

    Boa noite Ju,
    Fiquei tão ‘mexida’ com a situção e os problemas que a mestruação troxeram á vida da nossa colega leitora M.M que hoje tive de vir aqui no post após horas depois de ter lido para pelo menos dar uma palavra de conforto.
    Querida,M.M não pense no pior amiga o que aconteceu com tua avó e com tua mãe pode não acontecer contigo,sei e entendi bem o quanto isso te faz(fez) sofrer desde tua adolescência como tu relatou no post desabafo.
    Mas,infelizmente foste pela ‘genética’ premiada,e sinceramente pelo que li percebi que tu venceste muitas batalhas…
    Continua FIRME e FORTE,que no final vai dar tudo certo!
    Depois gostaria que tu voltasse aqui e contasse para nós,as melhoras e o tratamento para este último problema no ovário com volume que surgiu.
    Agradeço agora,pôr ter um ciclo menstrual normal e livre de cólicas e de tantos outros problemas!
    Obrigda por dividir conosco,e muita FÉ!!
    Beijos 🙂

  4. Meninas, eu sempre tive problemas sérios de enxaquecas quando estava menstruada, de ficar de cama sem conseguir fazer nada, isso me atrapalhava demais, sofri muito por muitos anos, até que um médico indicou o anticoncepcional de uso continuo, faz mais de um ano que não mesntruo e também não sofro mais com as enxaquecas, tenho me sentido bem melhor e com isso minha vida melhorou no geral, acredito que todo sofrimento tem tratamento, vale a pena procurar o médico até achar uma solução!!

  5. Elisa Raquel disse:

    Eu apoio totalmente as mulheres que desejam interromper a menstruação, algum motivo deve ter, pois vamos combinar, incomoda e muuuuuito!!! Se não é dor, é inchaço, é incômodo dos absorventes, é alteração de humor, é cansaço, nossa. Você tem meu total apoio colega, ainda mais por conta do sofrimento que isso lhe causa.E olha, mesmo que tenha acontecido algo grave na sua família, tente não pensar nisso, a medicina evoluiu e muito e está aí para nos ajudar.

  6. Oi!
    Tbm quero contar a minha historia.Desde que menstruei pela primeira vez aos 11 anos ela NUNCA veio nas datas certas, com o passar do tempo ficou pior, pois eu fiquei menstruada durante 2 meses com 12 anos, os médicos mandaram tomar anticoncepcional, durante 1 mês, e durante esse mês ocorreu td bem, também fiz ultrassom para ver se era cisto, mais não era.
    Cresci e hoje em dia tenho 18 anos e ainda tenho esse problema hoje em dia fico 25 dias menstruando, ficou td ao contrario estou tomando anticoncepcional de novo pra ver se ajuda, pq tenho medo de ficar com anemia.Dores na cabeça ou cólicas quase nunca tenho por conta disso.Porem o meu problema mesmo é a quantidade de dias que fico nessa situação.
    Bjos

  7. Gabriela Pinto disse:

    Ju, eu optei por não menstruar há uns 8 meses, com anticoncepcional de uso contínuo. O motivo foi um só, os dias que eu menstruava eram os piores da minha vida! Cólicas menstruais e intestinais, vômitos, “soltava” o intestino e nada, nenhum remédio impedia que isso acontecesse ou ao menos amenizava os sintomas! Cheguei a tomar em um único dia 2 ibuprofeno, 1 dorflex, 2 ponstans e 1 feldene, tudo pq eu estava viajando e não queria perder o dia…pois é, os remédios não fizeram nem cócegas! Fui no gineco e optamos pela pílula contínua…não tive nenhum efeito colateral com ela e não preciso mais me preocupar com o fim do mês!! Claro que sempre achei estranho não menstruar, pq a menstruação é algo natural né? Ou pelo menos deveria. Mas lendo seu post sobre os benefícios e conversando com meu gineco, não vejo problema algum. Principalmente pelo fato de não atrapalhar a fertilidade, já que quando eu desejar ter filhos é só interromper!
    Enfim, esse é meu relato =)
    Beijo meninas!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.