Ritalina: Usar ou Não Usar?

O uso da ritalina é extremamente controverso por vários motivos. Inicialmente, alguns especialistas, como o Doutor Peter R. Breggin, que é diretor do Centro Internacional de Estudos de Psiquiatria e Psicologia, sustentam que o uso da ritalina é condenável, pois que não corrige os desequilíbrios bioquímicos do corpo, ao contrário, ela os estimula.

Em um livro bem interessante sobre crianças índigo, esse mesmo médico sustenta que: “ o diagnóstico do TDAH é controverso e sem nenhuma base científica ou médica. Não há qualquer problema quando pais, professores ou médicos descartam o diagnóstico e se recusam a submeter as crianças ao tratamento. Não há provas de que haja qualquer tipo de anormalidade ou desequilíbrio bioquímico conhecido pela ciência no cérebro ou no corpo das crianças DDAs”.

Foto: Reprodução

 Eu concordo com isso em partes, porque o que tenho visto é um crescimento alarmante no uso da ritalina, sobretudo por crianças que nada mais são do que crianças e, como tal, peraltas. Conheço pais que levaram os filhos em médicos para que fosse receitada a ritalina porque a criança estava incontrolável, desatenta e desobediente. O pior é que já vi médicos que, sem pesquisar os motivos e sem conversar somente com as crianças, receitaram.

Eu acho isso um absurdo, porque existem MUITOS motivos para que a criança esteja “incontrolável”, e a maioria deles é responsabilidade dos pais. Criança tem que crescer em um ambiente saudável e equilibrado, e quando isso não acontece, ela pode sim ficar desatenta, agressiva, nervosa, ansiosa, desconcentrada e desobediente. Mas é mais fácil pegar a criança e dopar, porque aí ela fica calminha e não incomoda, né?

Existem casos reais de déficit de atenção? Sim, claro, e esses sim devem ser tratados, mas o que existe em quantidades absurdas são crianças que são expostas a um medicamento extremamente forte sem necessidade. Porque na maioria das vezes não é a criança que é problemática, mas sim o ambiente onde ela vive e os pais que as culpam e responsabilizam pelos seus fracassos e que vivem às turras descontando tudo nelas. Por isso eu acho que antes de tratar uma criança com ritalina, deve-se analisar a história familiar, bem como a possibilidade de colocar a criança em um ambiente mais saudável, e, caso isso não seja possível, tentar terapias, esportes e outros meios não tão invasivos.

No próximo post tem mais!

Beijos

Ju

@JuLopesL / julianalopes@patricinhaesperta.com.br

https://www.facebook.com/JuLopesPE

ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

14 Comments
  1. Desculpe flor sou Pedagoga e tenho uma filha com déficit de atenção e Dislexia, e muitas crianças de nossa escola apresentam sintomas de déficit, ou algum grau de dislexia, pois a dislexia não se apresenta sempre da mesma forma, ela existe em diversos graus, desde sintomas leves, como a falta de coordenação motora, dificuldade para aprender a amarrar os calçados, como em casos extremos não conseguir ler por não relacionar grafia á fonética das palavras,e em todos os casos existe tratamento, e hoje depois de um ano de tratamento sou grata por detectado os sintomas cedo em minha filha, e ter iniciado o tratamento, e gostaria que o preconceito fosse menor pois muitas crianças e adultos poderiam ser beneficiados, se se entregassem, aceitassem, suas dificuldades e procurassem Especialistas QUALIFICADOS, para avaliar eles mesmos e seus filhos… Esqueci de dizer que mais de 50% da população mundial apresenta algum sintoma de dislexia, déficit, ou outras dificuldades, que se tratadas teríamos um número bem menor de pessoas frustradas se sentindo “diferentes”.

    1. Oi Jana,
      Eu acho que existem sim milhões de pessoas que realmente possuem deficit de atenção, mas estudos realizados em todo o mundo alertam para o uso indiscriminado da ritalina por pessoas que não possuem o transtorno e são diagnósticadas erroneamente.

      Preconceito é burrice, porque dificuldades, em maior ou menor grau, todo mundo tem e acho meesmo que qualquer pessoa que possua deficit de atenção pode viver muito bem, como eu vivo, porque eu NUNCA tive nenhuma limitação por causa disso…

      Quanto a se sentir diferente…Quem é igual a quem? Ninguém!

      O ideal seria que todas as pessoas tivessem acesso a profissionais conscientes, que realmente soubessem diagnosticar e avaliar corretamente, mas infelizmente isso não acontece.

      Beijos

      1. Concordo, a maioria das pessoas que mais sofrem, não tem acesso a bons médicos… trabalho na rede pública, se pudesse levava muitos deles para casa, para cuidar, tratar, vestir, medicar…
        E quanto a ter vários médicos que são incapazes de olhar para a criança e já receitarem a RITALINA porque a mãe, ou a professora, disse que ela é Hiperativa, acho que é um absurdo também…
        bjus…

  2. Dois livros que pra mim foram muito esclarecedores:
    Mentes inquietas – Ana Beatriz Barbosa Silva
    No mundo da Lua – Paulo Mattos

    1. Lilika, adorei Mentes Inquietas, até porque foi escrito por uma médica que tem Déficit de Atenção, né?Bjo

  3. Eu conheço gente (q não tem TDAH) que em época de ‘pega’ na facul, toma ritalina pra ficar mais ligado e melhorar o desempenho!
    A verdade é que todo mundo tem um traço ou outro de TDAH, mas ter o transtorno é outra coisa, muitos médicos banalizam o diagnóstico mesmo!

  4. Crislaine Job disse:

    Adorando o posts e os comentários!

  5. Adriana Aguilar disse:

    Olá ^^

    Eu descobri que tinha TDAH faz pouco mais de um ano. E eu tenho certeza que tenho.

    Na escola sempre tive dificuldade em aprender as matérias, minha memória sempre foi péssima e mesmo estudando muito e aparentemente aprendendo o que estudee, sempre ia mal nas provas, pois esquecia tudo. Sou distraída, desorganizada, bagunceira, minha memória é péssima, ultimamente esqueço até as palavras mais simples, nome das coisas mesmo. Indo ao psiquiatra descobri que tenho déficit com hiperatividade. Apesar de ser letárgica, pois prefiro dormir do que ficar fazendo coisas por aí, eu falo e penso muito rápido, além de interromper as pessoas quando converso, senão esqueço o que ia falar. Tenho o mais irritante sintoma da TDAH: a Procrastinação. Além de nunca terminar o que começo. Meu lema sempre foi: não deixe pra amanhã o que você pode fazer depois de amanhã. Por esse motivo meus trabalhos, tanto na escola quanto na faculdade, sempre eram feitos no finalzinho do prazo, mesmo se eu tinha 1 mês pra fazer e olha…eu sempre tirava nota alta hauihauihauiha

    Também tenho o que você disse Ju, o que me interessa faço e aprendo rapidinho. Quando eram trabalhos de escrever sobre algo eu sempre ia bem. Escrever e entendimento e interpretação de texto sempre foram meu forte, enquanto que matérias de números sempre foram meu fracasso estudantil kkkk

    A Ritalina ajuda sim, te deixa mais alerta e ajuda na concentração. Ela ajuda, mas não te salva. Tomo só quando tenho algo importante pra fazer no trabalho ou em algum dia que preciso estar totalmente atenta. Por ser um remédio tarja preta acho que ele deve ser usado quando realmente preciso. Além do remédio que tomo quando preciso, adotei um esquema de organização. Agendas sempre foram um problema, nunca aprendi a usar. Agora anoto coisas que preciso fazer, tipo rotinas no trabalho, num caderno. Coisas que me pedem eu anoto num post it assim que me pedem, senão esqueço.

    Essa doança atrapalha muito a nossa vida, todo mundo fica irritado com você por esse aparentes “defeitos”, mas são coisas que não conseguimos controlar. Agora estou procurando melhorar, porque está me atrapalhando tb, me impedindo de desenvolver minhas habilidades reais.

    Conclusão: A Ritalina é necessária, mas é preciso uma auto- disciplina.

    Bjusss ^^

  6. Andréa Mendes disse:

    Oi meninas,
    Minha filha toma Ritalina há quase 4 anos, porque tem o diagnóstico de Síndrome de Asperger, que é uma forma de autismo. Posso dizer por experiência, que ajuda, mas não faz milagre. Já li muito sobre esse medicamento e de todas as controvérsias. Existe sim uma corrente de profissionais sérios que condenam o uso, mas por outro lado, tem outros profissionais igualmente sérios e bem-intencionados, que acham que o uso é válido. Confesso que até hoje, sinceramente não sei se o uso vem ajudando ou não minha filha, ou se o próprio cérebro dela, hoje com 16 anos, vem progredindo lentamente, com a ajuda de prática de esporte, do fato dela frequentar uma escola que não é especial, da sua própria força de vontade ou do amor com que é tratada. Mesmo conversando com o neuro que a trata desde o início, sobre o meu receio de estar jogando uma química desnecessária no seu organismo, ele sempre me tranquiliza dizendo que um dia, provavelmente, a Ritalina vai ser retirada e ela vai ter uma vida perto da normalidade. Espero com paciência e esperança esse dia chegar, mas posso dizer com certeza, que não é agradável ver alguém que amamos tomar um medicamento tarja preta. Parabéns pelo interesse no assunto. Um bj em todas!

  7. olá descobri que tenhu tda
    sofro muito com isso, não conheço ninguem que tenha,
    me atrapalha muito em minha vida,
    tenhu quew tomar ritalina LA, mas custa 300 reias, não consigo pegar pelo posto ou prefeitura, não tenhu condiçoes de comprar, tenhu 18 anos,
    alguem poderiam me add no msn?
    paula_loira12@hotmail.com

  8. oi,tenho curiosidade p saber se realmente melhora o desempenho no aprendizado,pode ser ate errado mais vou toma.

  9. Olá pessoal, sou um cara de 31 anos que tem 3 empresas quebradas, um casamento acabado, não conclui todos os estudos universitários etc, etc… Depois da 3ª falência, olhei para mim mesmo e pensei, não é possível tem alguma coisa de muito errado comigo … Cheguei a ler o livro “mentes inquietas” Pesquisei inúmeras coisas até descobri que tinha TDAH, diagnosticado pelo IPQ peguei carona em uma pesquisa genética, e fui beneficiado com o tratamento, que realmente é muito caro, depois que minha esposa ter me deixado e ter sido mandado embora da ultima empresa que trabalhei, pois estava pagado débitos da minha ultima falência, não tinha dinheiro nem para comprar bala … Mas opa ! Hoje depois de um ano, estou aqui empregado em um ótima corporação, já fui promovido duas vezes em 8 meses. tomo ritalina LA uma vez ao dia, faço meditação (mindfulness zilowska) Tenho um excelente plano de saúde que consigo um baita desconto em medicações … Olho há um ano e vejo hoje minha vida… Não tenho palavras para descrever, somente se emocionar … É logico que é um emgodo qualquer medicação desse porte, digo isso porque se tivesse tido a oportunidade de escolher minha carreira ( filosofia, psicologia, artes) e tivessem pais que me dessem esse suporte … Realmente não precisaria de medicação nenhuma “somente o mundo da lua e inspiração” … Mas tive que trabalhar com engenharia, mas não me arrependo de nada, não culpo meus queridos pais, mesmo pq eles também não tiveram instrução… Agora o que me corta o coração é ver inúmeras pessoas quem esse tipo de problema e não tem o mínimo de ajuda. OBS:Contatos IPQ (011) 3069.6971 – Falar com Jo e ou Dra. Maria Aparecida – UNIFESP: Grupo de pesquisas de Meditação (Mindfullnes) Dra. Viviane 9 82431467

    Abraço e boa sorte a todos…

Leave a Reply

Your email address will not be published.