Categories: Moda

Não É Excesso de Peso, É Falta de “Autoamor”!

Eu, como toda mulher desse planeta, vivo falando de dieta e sempre quero emagrecer (preciso mesmo!). Tento (mas só tentoooo) comer direito, tenho feito atividade física regularmente e todas essas coisas que eu mesmo “recomendo” por aqui para quem deseja mandar para longe uns quilinhos a mais.

Entretanto, mesmo estando acima do peso que julgo ser o ideal, eu NUNCA me diminuí por isso e nunca permiti que ninguém o fizesse, porque não posso admitir que alguém julgue a pessoa que eu sou pelo tamanho do meu manequim. Resolvi falar sobre isso hoje porque vi uma cena dia desses que me deixou meio chocada… Cheguei em uma determinada loja da minha cidade (Jequié – Bahia), e uma moça, que deveria ter uns 15 anos, no máximo, estava com uma senhora (mãe, tia ou algo do tipo)  e uma irmã (ou prima…) comprando roupas. Ela era bem gordinha e a senhora, de segundo em segundo, falava para todo mundo ouvir, que ali não tinha nada para ela, que ela estava imensa, que não adiantava comprar roupa, pois ela ficaria feia do mesmo jeito.

Eu fiquei tão, mas tão chocada que não sabia se chorava ou se dava três gritos e três sacudidas na dita senhora (me desculpem, eu sei que não é o certo, mas é o que dá vontade de fazer!), porque aquela situação era tão humilhante e tão vexatória, não só para a menina, mas para a senhora que a acompanhava e para todos que ali estavam, que só dando uma “sacodida” no mundo, só dando uma de louca para fazer aquilo parar.

Mas o que me chocou mais foi o fato de que a menina não reagiu NADA diante daquilo, não esboçou nenhuma reação, o que é um claro indício de falta absoluta de autoestima e de “autoamor”. O que pareceu, para mim, foi que a autoestima daquela criança estava dilacerada, porque ignorar, não se indignar, não esboçar reação é a pior das reações, e ela simplesmente fingiu que não era com ela e continuou olhando as roupas, enquanto a mãe continuava, e continuava, e continuava…

Um dia conto para vocês tudo o que, mesmo sem ter o direito, falei para essa senhora silenciosamente no provador, mas o que quero mostrar é que isso acontece muito, todos os dias, e não só na relação mãe/filha, mas também entre amigos, colegas de trabalho e também relações amorosas.

Isso existe em todos os lugares e, por mais que me choque, não me deixa tão “embasbacada” quanto o “silêncio das vítimas”. A ninguém é dado o direito de desfazer, de humilhar, de “pisotear” em quem quer que seja porque essa pessoa está acima de peso. E NINGUÉM tem o direito de permitir isso… Eu proíbo (toda mandona!) vocês de permitirem uma coisa dessas. Não pode, gente, não pode! Porque o que importa, nesse caso, não é o excesso de peso, é o tal do “autoamor“, aquele que a gente tem que ter independente de qualquer coisa, aquele que ninguém pode tirar da gente.

É preciso se amar, e se amar muito, independente do seu corpo, cabelo, pele… Mas é preciso, além disso, mostrar isso para o mundo e não deixar, em nenhuma hipótese, que esse “autoamor” seja atingido, pisoteado, massacrado.

Pensem nisso!

Beijos

Ju Lopes

Não É Excesso de Peso, É Falta de “Autoamor”!
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Você conhece o metal belt? É a nova moda em acessórios!
Já sabe quais serão as tendências do inverno 2013?
Compartilhar
Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. 👯 Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas 😘

Ver comentários

  • Autoamor aos 15 anos é difícil...eu adquiri auto amor com uns 30 anos mais ou menos...e mesmo assim ainda tenho recaídas...

    O mundo sempre foi das mulheres com cintura, isso é fato...mas a saúde também pede um corpo esbelto, comida saudável e exercícios físicos...coisa difícil também.

    Em deteminadas épocas do mês, do ano, da vida devemos buscar a felicidade bem longe do espelho...mas qual mulher consegue essa façanha??

    Minha mãe sempre teve cintura de pilão e eu unica filha nem cintura tinha...:)...e sempre me chamaram de baixinha e gordinha..já passei cada humilhação em lojas, festas,provadores...

    Agora depois da bariátrica, estou com manequim 38...e posso afirmar que com todo auto amor do mundo...não tenho saudades do tempo de obesidade...nem um pouco...porque infelizmente a grande maioria das pessoas confundem beleza com magreza...é errado!!mas a pura realidade...:(

  • Abri meu e-mail e recebi essa mensagem linda da amiga Deise Sozzi...combina direitinho com essa matéria Ju Lopes:

    Tamanho GG..

    --- É uma história verdadeira.

    Certo dia adentrou na loja uma certa "senhora bastante obesa", e de cara a minha amiga pensou que não tinha nada na loja na numeração dela.

    Se sentiu apreensiva e constrangida naquela situação, vendo a senhora percorrer as araras em busca de algo que minha amiga sabia que ela não encontraria.

    Ficou angustiada, porque não queria que a senhora se sentisse mal pelo tamanho das peças de roupas, se sentindo excluída e fazendo a questão sobre o seu sobrepeso vir à tona de forma implícita.

    A senhora se dirigiu à minha atendente e disse :

    “É... não tem nada grande, não é?

    E a minha amiga, sem até aquele momento saber o que diria, simplesmente abriu os braços de uma ponta a outra e lhe respondeu:

    “Quem disse??? Claro que tem!! Olha só o tamanho desse abraço! - E a abraçou com muito carinho.

    A senhora então se entregou àquele abraço acolhedor e deixou-se tomar pelas lágrimas exclamando:“Há quanto tempo que ninguém me dava um abraço.”

    E chorando, tal qual uma criança a procura de um colo, lhe disse:“Não encontrei o que vim buscar, mas encontrei muito mais do que procurava".

    E naquele momento, através dos braços calorosos de minha amiga, Deus afagou a alma daquela criatura, tão carente de amor e de carinho.

    Quantas almas não se encontram também tão necessitadas de um simples abraço, de uma palavra de carinho, de um gesto de amor.

    Será que dentro de nós, se procurarmos no nosso baú, lá nas prateleiras da nossa alma, no estoque do nosso coração, também não acharemos algo “grande” que sirva para alguém?

    UM ABRAÇO " TAMANHO GG" PARA TI .UMA BOA SEMANA.

  • Nossa como eu queria comentar isso com voces. eu sou muito magra ao contrario do post que fala sobre as gordinhas.Sonho em engordar e acho legal tb vcs fazerem um post sobre isso, pq tem muitas mulheres assim como eu que nao é feliz sendo magra. nada nos serve,compramos roupas e mandamos apertar e ainda mais eu tenho uma ''amiga'' que toda vez me humilha falando que eu sou muiiito magra! nao aguento mais quero engordar! já fiz de tudo e sou a unica magra da familia, e com isso ouço varias coisas.... e pra terminar eu nao me acho bonita,perdi TOTALMENTE o amor proprio. me ajudem! façam um post sobre isso...bjs

  • Nunca comentei aqui, mas esse post me tocou!
    Situação parecida acontecia comigo quando adeloscente.

    Eu era gordinha qnd adolescente, e comprar roupa era um sufoco, usava 46 e era muito difícil pra eu me vestir de acordo com a minha idade (15, 16, 17 anos). Vc sendo jovem quer usar roupa de jovem e não akelas roupas com corte e estampa de "senhora" rs, se eh q vc me entendem...rs. E pra ajudar eu sempre tive peitão, mas o ruim disso eh que as roupas do meu tamanho não me serviam e tinha sempre que levar um número de blusa maior que o meu, o que me deixava mais gordinha ainda. Minha mãe me levava no shopping pra comprar roupa e a gente sempre brigava e saía das lojas uma de cara feia pra outra, rs.
    Ela que também era acima do peso, queria fazer eu me vestir como ela, por causa do tamanho da roupa eu não achava roupa de jovem nas araras e eu não queria de jeito nenhum me vestir como uma mulher de 40 e poucos anos, enquanto minhas amigas andavam na moda.
    Eu lembro direitinho toda vez que ia na c&a era uma briga...eu procurava, procurava, procurava e não achava nada, qndo achava alguma coisa não passava no peito e ja n tinha número maior. e minha mãe falava alto na loja "vc não vai achar nada aqui, aqui só tem roupa pra magra", eu escutava akilo e na minha cabeça eu escutava "sua gorda!", e as pessoas em volta olhavam, me mediam pra ver q eu era gorda mesmo e eu me sentia péssima e saia da loja batendo o pé e de cara feia. toda vez era isso. Humilhante! e quando a gente saía da loja depois de um bom tempo de mão vazia e ia encontrar meu pai e irmão, eles falavam "esse tempo todo e não comprou nada?" e minha mãe falava "não tem nada que serve nela, essa loja é pra magra, não sei pq ela quer vir aki ainda", meu pai me olhava com cara de "vc eh fogo" e meu meu irmão soltava "hahaha sua gorda". imagina minha cabeça como ficava, auto estima? quem me ensinou? ninguém. Cresci me achando feia e gorda pq as pessoas q tem que te amar do jeito q vc eh não te amam por isso. minha vida inteira foi assim, até que comecei a crescer e via que eu era olhada pelos homens na rua e eu pensava "ele ta olhando pq eu sou gorda", mas eu ja tava com corpo, curvas, apesar de gordinha eu era bonita e ja estava com um corpo que chamava atenção dos homens. foi aí que eu comecei a pensar diferente sobre mim. tipo "eles me acham gorda, mas os caras na rua não" rs. Comecei a ficar vaidosa, pintava o cabelo, fazia as unhas, me maquiava e eu me sentia bem com akilo. eu passei a gostar de mim independente do que os eles falavam. não foi fácil, geralmente vc é zuada na rua e em casa seus pais te amam, mas comigo era o contrário. vai de vc escolher a maneira como vc quer se sentir. hoje eu emagreci usava 38, mas não me sentia mto bem, não me sentia eu, tinha akilo na cabeça que eu tinha q ser como as mulheres da tv, mas akilo não eh realidade. eu engordei um poukinho e hj uso 42, e to com corpão sabe. atraio mais olhares hj que quando usava 38. Eu pensava eu to usando 38, to magra e não atraio tanto olhares como quando eu usava 46, oq eu preciso melhorar? e ficava nakela paranóia...
    até que eu desencanei, comecei a me curtir, aproveitar as coisas, cozinhar,fazer o q gosto, engordei um pouco porém me sinto melhor hj.
    Uma coisa q eu ouvia era "vc está onde vc se coloca", se vc se achar gorda e feia, vc vai ficar gorda e feia, se vc se achar "eu to gordinha, mas eu sou bonita e as pessoas gostam de mim assim, independente disso ou dakilo" vc vive melhor consigo mesma e as coisas começam a fluir, ganhar cor, etc.

    vc está onde vc se coloca!

    bjsssssssss

Postagens recentes

8 Nutricionistas de Campinas Que Valem A Pena Você Seguir no Instagram

8 perfis de nutricionais para você seguir no Instagram Olá miosss amores, tudo bem? Primeiro, quero agradecer muitíssimo o carinho…

1 dia atrás

Quando Desistir de Descolorir?

Quando Desistir de Descolorir? Tem hora que não da né gente! O Cabelo está às mínguas de judiado, danificado ao…

1 dia atrás

Transport Benefícios, Como Usar, Quantas Calorias Queima

Amores, hoje vou falar pra vocês do transport (elíptico), quais seus benefícios, como usar e quantas calorias queima. Esse é…

4 dias atrás

O Melhor Exercício e Dicas Pré e Pós Treino

Olá miossss amores, tudo bem? Se você é minha leitora sabe que prometi fazer um registro diário do meu treino…

5 dias atrás

Meu Desafio de Emagrecimento: Dieta e Treino

Olá, MIOSSSS AMORESSSSSS!!! Tem alguém aí querendo emagrecer? Eu sei que já faz um bom tempo que eu deixei de…

6 dias atrás

Chega de Cabelo Curto Arrepiado nas pontas!

Cabelo Curto Arrepiado nas pontas Os cabelos curtos são tão quistos como forma e comprimento de cabelo, tanto quanto os…

1 semana atrás