Empatia – Você sabe o que é?

VER + DICAS

Você sabe o que é Empatia?

Empatia

Empatia – Você sabe o que é?

Empatia é um conjunto de características que melhoram o seu convívio com as pessoas ao redor, saiba mais sobre o assunto.

Umas das coisas mais importantes na vida inteira de qualquer pessoa é a simpatia e a empatia. Esta é capaz de produzir efeitos maravilhosos na sua vida, na vida de todo mundo, para falar a verdade. Tudo bem você não saber ao certo o que significa desenvolver uma habilidade da empatia e como isso pode acabar te ajudando.

Empatia, o que é e como funciona

É a capacidade que nós temos de nos colocar no lugar das outras pessoas de uma forma mais ampla, nos colocando no lugar analisando como a pessoa se sentiria, o que ela imaginaria ou pensaria sobre o acontecido. Muitas vezes, conseguimos sim entender o que o outro nos disse, só que nem sempre damos a verdadeira atenção ao fato, ao que nos foi dito. A empatia, como nós estamos dizendo, vai além do entendimento.

Vai envolver sim a afinidade, e conseguir estar por inteiro e tentar compreender.

São mais sensíveis?

Uma pessoa que é empática não é mais ou menos sensível que as outras. Ela só está mais aberta e é mais flexível, consegue sair do seu ponto de vista pessoal para analisar como se fosse a outra pessoa. Mas isso também não quer dizer que ela concorde ou não com a opinião do outro, só está se colocando no lugar desta, procurando acolher o que lhe foi dito.

Logicamente que para isso é necessário que a pessoa tenha sensibilidade para analisar cada situação, mas não seria uma coisa específica e sim um conjunto de característica que formam uma pessoa empática ou não.

Influencia e/ou facilita nos relacionamentos interpessoais

A empatia facilita os relacionamentos interpessoais e aqui fica a importância de destacar que: influencia e facilita nossos relacionamentos interpessoais em todos os níveis, porque para que a empatia aconteça é realmente necessário perceber o que é ou não é real, o que é ou não é importante para o outro, e a partir daí, do seu referencial, pensar. E mais importante ainda quando se trata da empatia: olhar segundo o referencial da outra pessoa, tentar pensar como ela está pensando. As pessoas te verão como uma pessoa mais compreensível, buscarão conselhos em você por terem em mente que você tem o costume de olhar os fatos por várias perspectivas e analisar de uma forma diferente da que você pensaria.

São livres

Quando nos colocamos no lugar da outra pessoa, acabamos por entender, gostando ou não dos fatos. Quando conseguimos pensar empaticamente, usando esse referencial do outro – calando o nosso – tenderemos a não ouvir, a não julgar, ou ter pré-conceitos quanto às outras situações que virão, sobre o próximo acontecimento.

Isso não é nem um pouquinho fácil. Ainda mais hoje em dia, sempre nos vemos como o centro das coisas, poucas vezes olhando para a outra pessoa. Por isso não encontramos tantas pessoas empáticas, são poucas as que param de pensar em si por um tempo e pensam no outro como um ser tão importante quanto si próprio.

Percebendo essa diferença, não estamos – de maneira nenhuma – dizendo que algo está certo ou errado. Mas sim que há diferença de uma situação para outra. Passamos então a perceber e entender a dimensão da importância do que está acontecendo com o outro.

Por isso, pessoas empáticas tendem a ser livres. Elas não se prendem a uma coisa só, pensam em várias coisas, de várias formas, de todos os ângulos. Por isso facilita a convivência, e as pessoas passam querer conviver mais com quem é empático.

Aí vai uma pergunta:

“As pessoas com uma grande capacidade de desenvolver empatia por outras pessoas correm o risco de colocar as necessidades alheias antes das próprias necessidades?”

Desde que tenham a noção de quais são as suas próprias necessidades, não correm o risco de colocar as necessidades dos outros em primeiro lugar, não. Principalmente se for uma pessoa centrada e uma pessoa que sabe das suas qualidades, dos seus limites, etc. A empatia é uma qualidade e está longe de atrapalhar alguém.

Colocar os interesses dos outros na frente de seus próprios interesses não se encaixa exatamente nas características da empatia, e merecem uma reflexão por parte de quem tem esse tipo de comportamento. Pode ser uma certa dificuldade que a pessoa tenha de lidar com as próprias coisas, próprios pensamentos, enfim.

Evitar o possível risco

É fundamental que a pessoa tenha plana noção de si, até mesmo para que possa acolher e exercitar a empatia. Colocar-se por inteiro no lugar de outra pessoa e assim fazer uma análise sobre a situação que o outro se encontra. A empatia pode ser uma habilidade de grande ajuda se for bem utilizada. Pode te ajudar a melhorar sim o seu convívio e te torna uma pessoa mais compreensiva.

VER + DICAS
Saiba Mais

#QUEROMUITO

A NOSSA LOJA ONLINE
 Oferta de 30% Progressivas
QUEROMUITO