Síndrome das Pernas Inquietas

A síndrome das pernas inquietas é um problema que atinge cerca de 10% da população mundial e costuma surgir a partir dos 25 anos, mas pode se manifestar em qualquer idade, inclusive na infância, onde costuma ser rara.

O grande problema é que ela está relacionada com a insônia, sendo uma das maiores causas da insônia, aliás, que causa diversos problemas para a nossa saúde.

E, vamos combinar, é um troço traumático, porque, imaginem só, como vai dormir com o namorado, noivo, marido e afins se as pernas, em movimentos involuntários, se movimentam a noite toda? Quem vai querer dormir com alguém tomando pontapés e chutes todos os dias? Dá divórcio, fim de namoro, fim de noivado, fim de qualquer possibilidade de “noites em comum”! É, parece ser pior que o ronco alheio!

Sintomas

Mas o incômodo não é só para o parceiro, pois além do constrangimento de passar a noite chutando o outro, a pessoa que tem a síndrome acorda com as pernas doendo, cansada, com a sensação de sono não reparador e, claro, mal-humorada.

Captura de tela inteira 18042013 193109

Mas o problema não é só durante a noite… Para quem tem essa síndrome, trabalhar sentada em algum lugar pode ser um transtorno, porque a vontade/necessidade de movimentar as pernas é praticamente incontrolável.

Além disso tudo, a síndrome causa formigamentos, câimbras, coceiras, dores, queimações, “puxões”, arrepios e mal estar nos membros inferiores, sendo que esses sintomas costumam se agravar no final da tarde e durante a noite. Para piorar, deitar não resolve, piora, aliás, e ficar sentado é um transtorno sem fim.

Causas

As causas ainda não são totalmente conhecidas, mas sabe-se que está relacionada com a predisposição genética, com deficiência de ferro e de dopamina, e é comum que pessoas que se submetam a dietas restritivas, que costumam causar deficiência de ácido fólico e de ferro, apresentem essa síndrome.

Diagnóstico

O diagnóstico da síndrome das pernas inquietas é predominantemente clínico, mas é feita uma bateria de exames com o intuito de detectar alterações nos vasos sanguíneos e/ou nos nervos.

Em alguns casos, essa síndrome pode camuflar problemas como fibromialgia, que falei por aqui ontem, além de artrite reumatoide, insuficiência renal e outras doenças.

Como é relativamente desconhecida da população, milhares de pessoas passam a vida dormindo mal e  tendo vários sintomas da síndrome sem sequer procurar diagnóstico. Muitas até procuram, mas logo se frustram com a dificuldade de detectar o problema, que, ressalte-se, tem tratamento.

Tratamento

Nos casos mais brandos, a recomendação é usar benzodiazepínicos, já nos mais graves pode-se usar remédios que estimulem os receptores de dopamina no cérebro, como o ropilene e o pramipexole.

É importante, ao notar os primeiros sintomas, procurar um médico para identificar o problema e iniciar o tratamento, pois só assim pode-se controlar os sintomas e minimizar as crises, contribuindo para uma melhor qualidade de vida do paciente.

Para quem é portador da síndrome das pernas inquietas o uso de substâncias que contenham cafeína, bem como o álcool e o cigarro não são aconselhados, pois pioram o quadro.

Beijos

Ju Lopes

Síndrome das Pernas Inquietas
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

1 Comment
  1. Quando li a chamada, logo pensei que era uma síndrome de quem mantém as pernas batendo no chão, que é meu caso, mas isso é pq sou extremamente ansiosa… Durante a noite eu sofro de insônia, mas fico imóvel.. Da forma que deito, acordo, praticamente não me mexo kkk.. Muitas vezes meu marido mexe comigo pra ver se estou respirando, pq ele diz que fico muito quietinha.

    Deve ser um tormento não conseguir acalmar o corpo para descansar né? Acordar tenso é terrível.
    Beijos, Carla Mariano

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.