Fitoterápicos Pra Emagrecer: Funcionam ou Não?

A não tão recente proibição da comercialização dos remédios pra emagrecer deixou muita gente de cabelo em pé. Polêmicas a parte, já que uns condenam e outros apoiam, o fato é que quem quer emagrecer  e não consegue apenas com dieta e exercício físico, conta com poucas opções, ou melhor, quase nenhuma, porque, com exceção da sibutramina, os outros não inibem a fome.

Nem gosto de comentar essa polêmica porque acho que a proibição absoluta não foi uma decisão acertada. Obesidade é doença e como doença deve ser tratada. Obesidade mata. Obesidade acaba com a vida de uma pessoa, e não, não é falta de vergonha na cara, e força de vontade não é o bastante. Alguém aqui já tratou diabetes com força de vontade? O raciocínio é o mesmo, porque o organismo de um obeso muda, a liberação de hormônios muda,  e a pessoa não tem, na grande maioria das vezes, como controlar a compulsão.

O fato é que depois dessa proibição o comércio de fitoterápicos prosperou, o que é bom, mas pode ser ruim, porque apesar de naturais, essas pílulas possuem indicações específicas e, em determinados casos, podem fazer muito mal, causando hemorragias, úlceras e até abortos. Ou seja, é natural, mas precisa ser receitado por um médico!

Existem dezenas, senão centenas, de pílulas supostamente emagrecedoras no mercado, e já falei de muitas aqui, mas vou destacar as mais comercializadas, tá?

Desktop49

Spirulina

A spirulina já é comercializada faz tempo, e é um produto bem tolerado pela grande maioria das pessoas. Trata-se de uma cianobactéria que faz fotossíntese, assim como as plantas, sendo muito utilizada por quem deseja perder peso devido, dentre outras coisas, ao seu alto teor de aminoácidos, sobretudo a fenilalanina, que age no centro da fome.

Além disso, é um fitoterápico rico em proteínas, que é essencial para o correto funcionamento do nosso organismo, já que ajuda no transporte de oxigênio e na formação dos músculos, prevenindo diversos problemas dentre os quais o cansaço, a anemia e a dor de cabeça. No mais, é rico em cálcio e é também um agente antioxidante, o que ajuda na manutenção da saúde e na prevenção do envelhecimento precoce.

O cuidado aqui se restringe a pessoas que tenham problemas intestinais, já que, nesses casos, ele pode causar vômitos, sede em excesso, náuseas e dores. Por isso, o certo é sempre tomar esse tipo de produto com orientação médica.

Alga Marrom ( Ascophyllum nodosum)

E já que estamos falando de algas (muita gente acha que spirulina é alga…), vamos falar da alga marrom!  A alga marrom é rica em aminoácidos que agem de forma similar aos hormônios da tireoide, estimulando, assim, o metabolismo corporal, o que ajuda na perda e na manutenção do peso. No mais, ajuda também na questão da saciedade, já que aumenta o bolo intestinal.

Como contém alginatos, a alga marrom é uma aliada na redução do colesterol e da glicose.

Contudo, portadores de doenças intestinais não devem consumir esse produto sem orientação médica pois, nesse caso, pode causar distensão abdominal, dores, vômitos e náuseas.

Pholia Negra

A pholia negra é um fitoterápico bem conhecido e bem recomendado por quem deseja emagrecer. Mas quem pensa que é algo novo se engana, porque ela é simplesmente o extrato da velha e conhecida erva-mate.

retencao-liquido-entenda1

A suposição é de que ela ajude no emagrecido por conter metilxantinas, que possuem efeito termogênico, ou seja, aceleram o metabolismo, o que faz com que o gasto calórico seja maior, mesmo em repouso. Como contém também cafeína, saponinas e teobromina, reduz a produção das leptinas e, assim, aumenta a saciedade, o que também ajuda na perda de peso. As saponinas são essenciais, já que ajudam na liberação do suco digestivo, o que facilita a digestão, enquanto que as metilxantinas possuem ação diurética, eliminando o inchaço e também as toxinas.

Testes realizados recentemente constataram que o consumo da pholia negra levou a redução da massa corporal, mas o consumo sem indicação e acompanhamento de um médiou ou nutricionista não é indicado justamente por ser um produto rico em cafeína, que  pode causar vários efeitos colaterais, como insônia, taquicardia, tremores e palpitações. Outra coisa que vale alertar é que seu consumo só é indicado durante o dia, já que durante a noite ele pode causar insônia.

Pholia Magra

A pholia magra é constantemente confundida com a pholia negra, mas são coisas bem diferentes, já que essa última é o extrato da erva-mate, enquanto a pholia magra é o extrato do chá-de-bugre.

Não existem muitos estudos que comprovem sua ação emagrecedora, e o que se sabe concretamente é que é um produto rico em cafeína e, por isso, termogênico. Ou seja, acelera o metabolismo e ajuda na perda de peso. Uma coisa que vale comentar é que a cafeína da pholia magra ajuda também na redução da celulite, vez que estimula a circulação.

Seu consumo, todavia, deve ser orientado por um profissional de saúde, devendo ser evitado durante a gestação e também por diabéticos, lactantes e pacientes hipertensos.

Pinho Coreano (Pinnothin)

O pinho coreano é uma planta asiática que, supostamente, inibe o apetite. Não existem muitos estudos sobre esse produto, mas acredita-se que ele tenha o poder de inibir o apetite porque estimula a liberação da colecistoquinina e do péptido, dois hormônios intestinais que enviam um sinal ao cérebro que reduz o desejo de comer.

Não existem efeitos colaterais conhecidos, e até por isso seu uso deve ter orientação de um profissional da área de saúde, já que não se sabe, ao certo, o que ele pode causar. Gestantes e lactantes, principalmente, devem evitar o consumo.

Feno-grego

As pílulas de feno grego possuem ação digestiva e laxativa, e por isso não podem ser consumidas por diabéticos, gestantes e lactantes. Como pode descompensar as taxas de glicose, seu uso deve ser orientado e acompanhado por um profissional de saúde.

Pílula do Pãozinho

Vocês conhecem a pílula do pãozinho? Essa é nova pra mim! Essa pílula é a combinação de alga marrom, fucus vesiculosus e  ascophylium nodosum, ativos que, juntos, reduzem a absorção de carboidratos e também reduzem o apetite, já que, quando em contato com líquidos, formam um “gel” dentro do estômago que gera uma maior sensação de saciedade.

Ajuda muito quem costuma comer pães, biscoitos, massas e demais carboidratos, mas não pode ser consumida sem orientação médica, já que pacientes com hipotireoidismo ou que possua problemas intestinais não deve consumir esse produto livremente, já que o fucus pode estimular a tireoide.

Quando ingerida sem orientação e fora das quantidades determinadas pode causar vômitos, sede excessiva, náuseas, dor abdominal e distensão abdominal.

Mucuna Pruriens

Já falei da mucuna por aqui, mas com outras finalidades. Pra quem não conhece, a mucuna é um tipo de leguminosa com origem nas Antilhas e na Índia, que vem sendo  muito utilizada na perda de peso, embora não existam estudos científicos que comprovem sua eficácia nesse sentido.

O que se sabe, em verdade, é que a mucuna é  termogênica, ou seja, ela aumenta o gasto energético, acelera o metabolismo e, consequentemente, ajudaria no emagrecimento. Além disso, sustenta-se que ela  aumenta a massa magra do corpo, o que também é benéfico no processo de emagrecimento.

Os estudos científicos existentes dão conta de que ela ajuda tanto no tratamento quanto na prevenção da Doença de Parkinson devido aos altos teores de L-Dopa, que é um neurotransmissor que melhora sensivelmente os sintomas dessa doença pois é convertido, no cérebro, em dopamina. Pra quem não sabe, o Parkinson ocorre devido a baixa/falta de dopamina, que passa a não ser mais produzida devido a destruição das células nervosas.

Há estudos em andamento que verificam a relação da mucuna com o controle do colesterol e também da glicose.

Interessou? Cuidado! A mucuna não pode ser ingerida por quem possui problemas cardiovasculares devido ao risco de baixa pressão sanguínea, de câncer de pele e de úlcera gastroduodenal. Gestantes também não devem fazer uso da substância.

No mais, seu uso sem a devida orientação de um profissional de saúde é sim perigoso, já que é uma planta que tem ação no sistema nervoso central, e com isso a gente não brinca, né? Dentre muitas outras coisas, seu consumo inadequado pode causar insônia, vômitos e náuseas.

Existem muitas outras plantas e substâncias “naturais” que são usadas nos processos de emagrecimento, e todas elas podem sim ajudar, mas que fique claro que elas ajudam, elas são coadjuvantes, elas não fazem (e nada faz) milagres.

Cada uma possui um mecanismo de ação diferente, sendo que muitas agem no sistema nervoso central, e a grande maioria não é indicada para gestantes e lactantes. Muitas também são restritas a determinados pacientes, e isso só um médico ou nutricionista pode orientar com segurança, então nada de sair comprando fitoterápico a torto e a direita pra tomar, né?

Falo isso porque quando se fala em fitoterápicos, a palavra “natural” lembra o “liberou geral”, o que, além de um erro, pode ser bem perigoso!

Já tomei alguns fitoterápicos (mas com orientação médica) e gostei bastante dos resultados! E vocês?

Beijos

Ju Lopes

 

Fitoterápicos Pra Emagrecer: Funcionam ou Não?
ESTA DICA FOI ÚTIL? VOTE AQUI

Kalina Amaro

Sou jornalista, blogueira, louca por cosméticos e chocolate. ? Escrevo sobre um pouco de tudo que for relacionado ao universo feminino.. mas você vai ver meus posts mais na categoria beleza. Se esta dica foi útil pra você VOTE no meu post clicando na entrelinha ☝ acima, tá? Faça seu comentário abaixo. Beijos lindonas ?

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

error: O conteúdo está protegido por direitos autoriais.